domingo, 28 de fevereiro de 2016

O GRUPO DOS DOZE

                    A União Européia é a Besta das sete cabeças e dez chifres -Ap 17,3 -



O GRUPO DOS DOZE


 Este grupo dos doze, representando nações poderosas, é uma afronta para a existência dos Meus doze apóstolos

Terça-Feira, 20 de Novembro de 2012, 23:50 h.

 Minha querida e amada filha, muitos insultos, disfarçados sob um véu de engano, estão a ser lançados contra Mim, o Salvador do homem. Satanás infestou os Cristãos em todo o mundo, em particular neste momento. Ele faz isso da forma mais astuta. Ele convence-os de que devem mostrar lealdade aos seus irmãos e irmãs, fazendo-os acreditar em mentiras. As pessoas, pela sua natureza, têm um lado carinhoso oriundo de um amor natural para com os outros. Este é um Dom de Deus. Satanás usa esta emoção para atrair o homem para uma teia de mentiras, sobre as quais ele tem pouco controle. Ele consegue levá-los a acreditar em leis que correspondem a graves pecados contra Deus. Ao apoiarem os que visam produzir leis que toleram a guerra, o assassinato e blasfemam contra Deus, muitas pessoas acreditam que estão a fazer a coisa certa. Quando acreditais que o pecado é aceitável e que se justifica, porque é para o bem dos outros, vós caís numa armadilha cuidadosamente preparada.
Não é por acaso que são montadas desculpas para a divisão das Igrejas Cristãs. Não é por acaso que vos é apresentado, neste momento, qualquer pretexto para desculpar o aborto. Todas as nações que estão associadas e clamam publicamente pela introdução do aborto, pela tolerância da guerra e por alterações nas Igrejas Cristãs, estão a ser conduzidas por uma entidade.
Esse grupo planeia estes eventos há muitos anos. Eles sabem exatamente o que são e o que fazem. Eles são muito poderosos e perigosos. Parai, olhai e escutai, pois vós deveis agora aceitar que o que Eu digo é em Nome de Deus. Todas essas ações monstruosas e repulsivas, que vos são apresentadas como mudanças plausíveis e que cuidam da vossa sociedade, foram planeadas e coordenadas numa base global pelo grupo dos doze.
Este grupo dos doze, representando nações poderosas, são uma afronta para a existência dos Meus doze apóstolos. Eles vão apresentar e apoiar o anticristo no mundo, assim como os Meus doze apóstolos Me apresentaram em público durante o Meu tempo na Terra. O seu poder significa que as nações poderosas se suportam umas às outras, para fazerem leis pecaminosas e assegurar que elas serão aceites. Como vós, Meus amados discípulos, sofrereis pelo vosso acesso à Verdade.
A Verdade abrirá os vossos olhos para o mal ao vosso redor. Vós nunca deveis recear a Verdade. Só quando a aceitais, ela pode proteger-vos de leis perversas, e dessas ações e atos. Sabei que as nações que participam na introdução de leis iníquas serão as mais afetadas durante a purificação final. Elas podem acreditar que estão acima da censura, mas elas só conseguirão alcançar uma coisa.
E isso será um Castigo tão severo que elas não serão capazes de se esconder ou de cobrir os seus rostos para o evitar. Em primeiro lugar, elas têm que responder perante Mim. Muitos cuspirão, mesmo assim, na Minha Face. E, em seguida, irão juntar-se ao anticristo, a besta, e todos os anjos caídos, numa dor eternamente.
Eu aviso-vos, agora. Aqueles de vós que tenteis levar o aborto para os vossos países, aqueles que contaminais as Minhas Igrejas Cristãs e aqueles que honrais a besta, são poucos os vossos dias. Para vós, não haverá futuro, nem Vida Eterna, nem acesso ao Meu Reino.
O vosso Jesus.


O Livro da Verdade – Maria Divina Misericórdia

O LIVRO DA VERDADE foi avisado na Bíblia (Apocalipse 5, 1-9 e 10, e Daniel 10, 21).
Apocalipse 5, 1-9
E vi na mão direita do que estava assentado sobre o trono um livro escrito por dentro e por fora, selado com sete selos. E vi um anjo forte, que dizia a grande brado: Quem é digno de abrir o livro, e de desatar os seus selos? E nenhum podia, nem no céu, nem na terra, nem debaixo da terra, abrir o livro, nem olhar para ele. E eu chorava muito, por ver que ninguém foi achado digno de abrir o livro, nem de olhar para ele. Porém, um dos anciãos me disse: Não chores! Eis aqui o Leão da Tribo de Judá, a Raiz de Davi, que pela sua vitória alcançou o poder de abrir o livro, e de desatar os seus sete selos. E olhei: E vi no meio dos anciãos um cordeiro como morto, que estava em pé, o qual tinha sete cornos, e sete olhos: que são os sete Espíritos de Deus, mandados por toda a terra. E veio: e tomou o livro da mão direita do que estava assentado no trono. E tendo aberto o livro, os quatro animais e os vinte e quatro anciãos se prostraram diante do Cordeiro, tendo cada um suas cítaras e suas redomas de ouro cheias de perfumes, que são as orações dos santos: e cantavam um cântico novo, dizendo: Digno és, Senhor de tomar o livro e de desatar os seus selos: porque tu foste morto, e nos remiste para Deus pelo teu sangue, de toda a tribo, e de toda língua, e de todo povo, e de toda nação.
Daniel 10,21
Mas eu te anunciarei presentemente o que está expresso na escritura da verdade: e em todas estas coisas ninguém me ajuda, senão Miguel, que é o vosso príncipe.
Apocalipse 10 – O livro profético (O anjo da sétima trombeta)
Então vi outro anjo forte, que descia do céu, vestido duma nuvem, e com o arco-íris sobre a sua cabeça, e o seu rosto era como o sol, e os seus pés como colunas de fogo. E tinha na sua mão um pequeno livro aberto, e pôs o seu pé direito sobre o mar, e o esquerdo sobre a terra. E gritou em alta voz, como um leão quando ruge. E depois que gritou, fizeram sete trovões soar as suas vozes. E como os sete trovões tivessem feito ouvir as suas vozes, eu me punha já a escrevê-las. Mas ouvi uma voz do céu que me dizia: Sela as palavras dos sete trovões e não as escrevas. E o anjo que eu vira, que estava em pé sobre o mar, e sobre a terra levantou a sua mão para o céu. E jurou por aquele que vive pelos séculos dos séculos, que criou o céu, e tudo o que nele há, e a terra, e tudo o que há nela, e o mar, e tudo o que nele há, jurou, que não haveria mis tempo. Mas nos dias da voz do sétimo anjo, quando começasse a soar a trombeta, se cumpriria o mistério de Deus, como ele o anunciou pelos profetas seus servos. E ouvi a voz do céu, que falava outra vez comigo, e que dizia: Vai, e toma o livro aberto da mão do anjo, que está em pé sobre o mar, e sobre a terra. E fui eu ter com o anjo dizendo-lhe que me desse o livro. E ele me disse: Toma o livro e come-o, e ele te causará amargor no ventre, mas na tua boca será doce como mel. E tomei o livro da mão do anjo, e traguei-o: E na minha boca era doce como mel, mas depois que o traguei, ele me causou amargor no ventre. Então me disse: Importa que tu ainda profetes a muitas gentes, e povos, e homens de diversas línguas, e reis.

O LIVRO DA VERDADE é a continuação da Bíblia. Fonte: www.elgranavisomensajes.com

TER A CORAGEM DE SALTAR PARA A VERDADE


TER A CORAGEM DE SALTAR PARA A VERDADE

Tenho ainda uma coisa a perguntar. É esta: qual o significado que tem para vós a farinha que tira o amargor da sopa dos filhos dos profetas?
“Talvez porque a farinha absorve o amargor...”, diz duvidoso Mateus.
“Tudo teria ficado amargo, a farinha também.”
“Por um milagre do profeta, que não queria envergonhar o seu servo”, sugere Filipe.
“Também. Mas não só por isso.”
“O Senhor quis fazer brilhar o poder do profeta, até nas coisas materiais comuns”, diz Zelotes.
“Sim. Mas não é ainda o sentido justo. As vidas dos profetas antecipam o que depois haverá, quando chegar a plenitude do tempo, o Meu. Elas reproduzem o meu dia nesta Terra, sob a forma de símbolos e figuras. Portanto...”
Silêncio. Olham-se uns aos outros. Depois João inclina a cabeça, fica com um rosto brilhante, e sorri.
“Por que é que não dizes o teu pensamento, João?”, interroga-o Jesus. “Não é falta de amor falar, porque não o fazes para humilhar a ninguém.”
“Penso que queria dizer o seguinte. Que, no tempo da fome da verdade e da carestia da Sabedoria, que é este no qual Tu vieste, todas as árvores se tornaram selvagens,e deram frutos amargos, intragáveis e tóxicos para os filhos dos homens, e que, assim sendo, deixam de ser usadas por eles, pois precisam ser preparadas, para poderem ser usadas. Mas a Bondade te mandou como a farinha de trigo escolhido, e Tu, com a tua perfeição, tiras o veneno de todos os alimentos, tornando-os novamente bons, e as árvores das Escrituras, que os séculos desnaturaram e também, os gostos dos homens que a concupiscência corrompeu. Nesse caso, aquele que manda levar-lhe a farinha e a louça no caldeirão é o teu Pai, e Tu és a farinha, que se santifica para fazer-se alimento dos homens. E, depois de tua consumação nada mais de amargo haverá no mundo, porque Tu terás restabelecido a amizade com Deus. Posso ter errado.”
“Não erraste. Este é o símbolo.”
“Oh! E como fizeste para pensar nisso?”, pergunta pasmado Pedro.
E Jesus lhe responde: “Eu to digo, com as mesmas palavras que disseste, há pouco. Um belo salto sobre a ilha pacífica e florida da espiritualidade, mas é necessário ter a coragem de dar o salto, abandonando a margem, o mundo. Saltar sem ficar pensando se há alguém que pode rir-se de nosso salto meio indeciso, ou zombando de nós pela nossa simplicidade em gostar mais de uma ilhazinha solitária do que do mundo. É preciso saltar, sem o medo de ferir-se ou de molhar-se, ou de ficar desiludidos. Deixai tudo, para refugiar-vos em Deus. Ir colocar-se sobre a ilha separada do mundo, e de lá sair-se unicamente para distribuir aos que ficaram nas margens as flores e águas puras apanhadas na ilha do espírito, onde só existe uma árvore: a árvore da Sabedoria. Estando perto dela e longe dos fragores do mundo, compreende-se todas as palavras, e nos tornamos mestres, se soubermos ser discípulos. Isto também é um símbolo.


(de Jesus à Valtorta, Vol 8, pgs, 471. 472)

ACREDITAR NAS PALAVRAS DE JESUS SEMPRE


CONSERVAI O QUE EU ENSINO

Diz Jesus:

Quando os reis de Israel, de Edom e de Judá se reuniram para combaterem contra o rei de Moab, mas antes voltaram atrás para pedirem conselho ao profeta Eliseu, mandando que ele fizesse cavar fossas e mais fossas na torrente seca, a fim de serem enchidas com água para os homens  e os animais. E, na hora do sacrifício matutino, a torrente, sem que estivesse soprando vento nem caindo chuva, encheu-se como o Senhor havia dito. Quais são segundo o vosso parecer as lições que podemos tirar deste episódio? Falai!”
Os apóstolos se consultam um ao outro. Um deles diz: “Deus não fala na perturbação do coração. O Elizeu quer aplacar a indignação que surgiu dentro dele, ao ver-se na frente do rei de Israel, para poder ouvir a Deus.” Outro por sua vez diz: “É uma lição de justiça. Eliseu para não punir o inocente rei de Judá, salva também o culpado.” E outros dizem: “É uma lição de obediência e de fé. Eles cavam as fossas, obedecendo à ordem, que aparentemente era tola, e cavam esperando com fé a água, mesmo estando o tempo sereno e sem sinal de vento no céu.”
“Vós respondestes bem, mas não totalmente. Na perturbação do coração, Deus não fala. É verdade, mas não são necessárias as harpas para acalmar o coração. Basta ter a caridade, que é a harpa espiritual, e que dá notas de paraíso. Quando uma alma vive na caridade, tem o coração calmo, ouve a voz de Deus, e a compreende.”
“Então Eliseu não tinha caridade, porque estava perturbado!”
“Eliseu é do tempo da justiça. É necessário saber transportar para o tempo da caridade os episódios antigos, e vê-los, não à luz dos fulgores, mas à luz dos astros. Vós sois dos tempos novos. Por que então, tão frequentemente vós estais mais iracundos e perturbados do que os do tempo antigo? Despojai-vos do passado. Eu o repito, mesmo que Judas não goste de ouvir repetição. Extirpai, podai, enxertai, cultivai plantas novas. Renovai-vos, cavai as fossas da humildade, da obediência, da fé. Aqueles reis assim souberam fazer, e eram dois contra um, não de Judá, e não deram ouvidos a Deus, mas sim ao profeta de Deus, que repetia quais eram as vontades do Altíssimo. Eles teriam morrido de sede no tempo daquela seca, se não tivessem sabido obedecer. Obedeceram, e as águas encheram as fossas cavadas, e eles, não somente ficaram livres da sede, mas venceram os inimigos.
Eu sou a Àgua de Vida. Cavai fossas nos vossos corações, para poderdes receber-Me. E agora escutai. Eu não faço longos discursos. Eu vos dou umas sentenças para que nelas mediteis. Vós sereis sempre como estes meninos, e até menos do que eles, porque eles são inocentes, e vós não o sois, e é por isso que é mais fosca em vós a luz espiritual, se não vos habituardes a meditar. Vós escutais sempre, mas não o conservais, porque a vossa inteligência está dormindo em vez de estar em atividade.


(de Jesus à Valtorta, Vol. 8, pgs 469, 470)

sábado, 27 de fevereiro de 2016

UM CASAL GAY PODE ADOTAR UMA CRIANÇA?



UM CASAL GAY PODE ADOTAR UMA CRIANÇA?


Começou recentemente uma campanha pelos grupos homossexuais para celebrar o fim da discriminação da lei de adoção de crianças por casais gays. Ela está intitulada assim: “Jesus também tinha dois pais”, diz o cartaz em defesa de tal grupo.
Analisemos se é justo conceder a autorização para que estas uniões homossexuais adotem uma criança e a eduquem.

Primeiro questionamento – Será que é bom dar este direito de adoção a uma união que é considerada pelas pessoas sinceras e honestas, como anormal e anti-natural?
Segundo questionamento – Existe um ditado que diz: “Filho de peixe peixinho é”, significando que a criança será induzida pelos seus pais, a serem como eles, e mesmo que não a induzam, a criança sempre tem os pais como exemplo a ser seguido, e neste caso, seriam futuros homossexuais. Se a ideia é formar casais que não procriam, não acham que é a mesma coisa de estarem desejando o fim da espécie humana? Se uma espécie vê que uma prática entre eles é contrária a sua perpetuação, porque continuar com esta prática?
Terceiro questionamento – Muitos destes grupos, justificam que existem muitas crianças para serem adotadas, e se ninguém adotar, morrerão de uma forma ou de outra. Isto seria verdade se não existisse a outra vida. Portanto o problema não é a preocupação da perda da vida desta criança, mas como é que ela irá morrer espiritualmente. Se estiver com Deus, o Paraíso a espera, mas se não estiver, um lugar terrível será dado a ela. O que se conclui com isto? Que é preferível esta criança morrer de fome, do que ser adotada por um casal homossexual e ir para o Inferno. Porque esta vida é passageira, mas a outra é eterna, assim sendo, temos que dar preferência para estar na outra vida, e não nesta vida.
Quarto questionamento – A prática homossexual além de ser condenada por Deus, é também a produtora e proliferadora do vírus da AIDS. Esta doença terrível começou com estes grupos e permanece com eles até hoje - segundo pesquisas feitas em várias décadas -, tanto que eles são proibidos de doarem sangue nos hospitais.
Os gays deveriam estar confinados, separados da sociedade para não transmitirem o vírus produzido por eles. Mas aonde estão as autoridades médicas do mundo, que mesmo sabendo desta verdade, encobrem e mitigam as informações para não serem chamados: responsáveis conscientes da proliferação do vírus?
Quinto questionamento – Jesus não tinha dois pais, mas um único Pai e Criador do Universo. José foi um amigo de Maria e de Jesus, um Anjo colocado na terra para servi-los. O título de pai dado ao nosso querido José, é simbólico.
Sexto questionamento – Comparar os pais homossexuais com os pais de Jesus é uma ofensa, blasfêmia, uma verdadeira agressão aos crentes, com uma comparação pra lá de absurda e maldosa. Pais sem pudor nenhum, comparados com a Santíssima pureza de uma vida inteira de amor unicamente espiritual de José e Jesus é inaceitável!
Sétimo questionamento – O cartaz diz que existe uma discriminação com estes grupos. Não. Não existe discriminação nenhuma, o que existe é a certeza de que, se as crianças forem adotadas pelos gays, correrão o risco de contraírem o vírus da AIDS, e de serem como eles, pessoas anti-naturais e com sensualidades bestiais. Eu digo bestial, e não animal, porque nem mesmo os animais que são irracionais praticam tal obscenidade. Acham que existe amor entre um homem e outro homem em tais relacionamentos? Já chegaram a imaginar o que eles fazem para se saciarem dentro de quatro paredes? Imaginaram?... Ficaram com nojo? Pois eu também. 
Por estes questionamentos de reflexão, podemos concluir que não se pode dar a autorização para que os casais gays adotem crianças. Pois seria um crime contra a espiritualidade dela, levando-a a pensar que é normal ter dois pais homens, que se relacionam sexualmente, e com isso a provável condenação eterna.
Deus existe, e os dez mandamentos não foram escritos pelo dedo do Criador à toa, devemos respeitá-los para que possamos nos regular, freando o que há de animalidade dentro de nós, e com ela a corrupção da alma. Na outra vida não entram a carne, o sangue e a matéria, somente o que é espiritual e santo, escrito no livro da vida de cada um de nós.


Antonio C. Calciolari 

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

O DIABO USA SAIA?

Que lindo e respeitoso era, quando as mulheres se vestiam com pudor e com o véu sobre a cabeça durante a celebração da Missa. Quanta saudade deste tempo da Missa Tridentina.


O DIABO USA SAIA?

Eu estava pronto para escrever sobre as tentações carnais, que é a primeira escolhida por Satanás para iniciar os pecados no homem, porque depois deste, todos os outros vêm em sequência imediata se não houver um freio imediato. Há uma frase simbólica que diz: “O Diabo usa saia.” Para uma mulher que vê outra mulher vestida com pouca roupa, não significa nada, mas para o homem é bem diferente o que ele sente, o instinto animal está presente, e deseja, mesmo sem querer, somente pelo olhar. Para entender esta frase, basta ler o que o próprio Jesus nos revelou através de sua querida Santa: Ângela de Foligno.


 "Ò mulher, repara em Mim, flagelado e coroado de espinhos! Contempla as Minhas Chagas e as Minhas Feridas! Depois escuta e reflete: Durante a Minha vida terrena, vivi como manso cordeiro; fui ao Calvário, sem abrir a boca; tratei com doçura a samaritana e ela se converteu; comovi o coração de Maria Madalena, a pecadora e a fiz predileta e uma santa; ao cruzar as ruas da Palestina, pronunciava palavras de Luz, de Paz e de Amor; os Meus ensinamentos eram doces como mel.
Mas um dia, ao lançar um olhar divino por todos os séculos, vendo como o mal inundava, impetuoso e ultrajava os Meus Templos, pronunciei palavras de fogo: 'Ai do mundo por causa dos seus escândalos! Ai de quem escandalizar! Seria melhor que lhe atassem uma pedra de moinho ao pescoço e o arrojassem no mar!'.
Quem pronuncia este 'ai' é um Deus abandonado por muitos sacerdotes, religiosos e leigos que não vivem, realmente, o que lhes preguei. Sou Eu, Jesus, que sofri tanto para salvar as almas; sou Eu o Juiz Supremo da Humanidade, dessa humanidade que entre outros pecados, Me crucifica novamente com as sua modas indecentes! Eu pronunciarei a sentença eterna para cada alma: Paraíso ou inferno! Reflete, mulher, que segues a moda licenciosa e pensa com serenidade, um momento, sobre os graves escândalos que provocas aos que te olham, te desejam e te ferem com frases grosseiras, por causa de tuas roupas ajustadas, transparentes, decotadas e curtas.
Ó mulher, porque ultrajas os Meus templos, fazendo exibição do teu corpo? Porque só te ocupas em agradar e tentar os homens?! Porque transformas a Minha Casa de Oração num lugar de anatomia, onde abundam cabeças, troncos, extremidades e até a marca de tua roupa interior? Os Meus templos são profanados por causa das tuas roupas sensuais e provocadoras.
Diz-Me, mulher, as tuas virtudes onde estão? O teu pudor, a tua modéstia, a tua humildade, onde estão? As tuas modas, que tanto tentam, são diferentes das de uma ateia? Absolutamente nada! Podes até iludir-te, a ti própria dizendo: 'Que mal há em seguir esta moda?' ou 'As outras mulheres também o fazem!' e ainda 'Há sacerdotes que não proíbem e até aceitam!'. Esta ilusão é para ti, mas a realidade é bem outra diferente. A conduta incorreta de tantas mulheres, mesmo cristãs, não justifica a má conduta própria. Se as outras mulheres se quiserem condenar, seguindo o que o mundo lhes apregoa, porque hás tu de te condenar?
Todos os pecados que provocam nos outros, as tuas calças 'coladas', shorts, mini-saias, blusas e vestidos transparentes e decotados, fora ou dentro da Igreja, são imputáveis aos que te olham, mas mais que a ninguém, são imputáveis a ti, que és a sua causa voluntária. Eu, o Legislador Divino, disse: 'Se alguém olhar para uma mulher com malícia, já pecou em seu coração'. A moral que Eu ensinei é una, inviolável e eterna, enquanto que as modas são muitas. A Minha Igreja, não tem modas! O mundo tem-nas todas. Se, realmente, Me amas, deves seguir a Minha Vida, cheia de abnegação e sacrifício. Por isso deves abandonar as modas que atentam contra a Moral e a Fé!
Estreita é a porta que conduz ao Céu e larga a que leva ao inferno; a maioria elege a última. Estar contra as modas indecentes e não as usar é muito difícil; é necessário muito amor para Comigo, para não se deixar arrastar por elas. Eu fui enviado ao mundo, não para fazer a Minha Vontade, mas a d’Aquele que Me enviou. Tu foste enviada ao mundo, não para viver, fazer e usar o que te apetece, mas para realizar a Minha Santa Vontade. Ou tu estás Comigo ou estás contra Mim! Ou estás Comigo, ou estás com as modas sem pudor; o que escolheres dar-te-á a eternidade da Minha Glória ou a eternidade das penas.
Quando a morte te arrancar deste mundo, cheio de vaidades e luxos sem razão e chegardes a Minha Presença para ser julgada, vendo os pecados que os homens cometeram ao olhar para o teu corpo escassamente coberto, tu própria ficarás envergonhada. Que pretexto poderás então apresentar-Me? Ai de ti mulher pelos teus escândalos! Ai de ti que perdeste o pudor e a vergonha! Porque procedes assim? Porque me crucificas novamente com os cravos da tua imodéstia?
Quando, de forma desrespeitosa, Me recebes na Comunhão, quanta amargura sinto ao entrar no teu corpo, que é motivo de tantos pecados nos homens e de mau exemplo para as poucas mulheres que tu, com desdém e desprezo, chamas 'antiquadas'! Asseguro-te, que muitas destas antiquadas estão Comigo, enquanto muitas 'modernas' sem pudor, como tu, estão 'sofrendo' no inferno.
Os casamentos que se celebram, também esbofeteiam ao Meu Rosto, quando as noivas e madrinhas se aproximam do Altar meio despidas, assim como muitas de suas convidadas. Tem a hipocrisia tal, que mesmo semi-nuas, levam no pescoço uma formosa cruz metálica, sinal de sua 'grande catolicidade'. A verdade é que são sepulcros branqueados, cheios de luxo por fora e vazias de humanidade e caridade por dentro.
Ai, ai, ai! De todos aqueles sacerdotes que temem, ou não querem proibir que se espezinhem e profanem os Meus templos, com a nudez das modas. Muitos deles deixaram-se seduzir pela sua presença e não querem ser rigorosos no cumprimento dos seus deveres. Eu fui atraiçoado por um falso apóstolo. E hoje, há falsos sacerdotes, religiosos e leigos, que, de forma clandestina, estão trabalhando para destruir a Minha Igreja. Falseiam a Minha Doutrina, permitindo tudo e criando um cristianismo fácil.
Nos Meus Templos vêem-se coisas mais profanas. Por exemplo: maquilagens, penteados exóticos, jóias, amuletos, óculos de sol, finos e raros tecidos.
Outros, por sua vez, dedicam-se a comer, fumar, mastigar pastilhas elásticas, conversar, dormir, estudar, namoriscar, cruzar as pernas, aplaudir, bailar, cantar canções profanas e os 'parabéns a você', bisbilhotar, passear admirando obras de arte, tirar fotos durante a Santa Missa, etc., como se estivessem num piquenique.
Pobres deles! Estão convertendo a Minha casa de Oração em lugar de pecados e ninguém sai em Minha defesa. Todos calam e fogem. Ninguém se arrisca e todos lavam as mãos como Pilatos. Onde estão os que deram a sua vida por Mim? Se um político, um desportista ou um artista lhes dizem: 'Façam isso! Usem aquilo!', todos o imitam. Eu, em troca, prometo-lhes o Prêmio Eterno se cumprirem os Meus Mandamentos e quase ninguém faz caso dos meus convites. 
Ai, ai, ai! Das minhas religiosas que, nas suas instituições e Colégios, não aconselham as suas alunas sobre a sã e correta maneira de se vestirem! Ai, ai, ai! Das freiras que adaptam sua vestimenta às das mulheres mundanas; os vossos pecados estão a esgotar a Minha Paciência! Ai, ai, ai! Dos pais e mães que, seguindo o ritmo imoral das modas, pervertem os filhos com o uso das mesmas e os tornam motivo de escândalo! Ai, ai, ai! De todos aqueles seculares que não resolvem aconselhar com energia tantos irmãos equivocados, sobre a necessidade e a obrigação de abandonarem as modas e ações que desvirtuam o Meu Evangelho! Ai, ai, ai! De todas aquelas pessoas que, de uma ou outra maneira, fomentam, comercializam e permitem toda espécie de despudor! Sei muito bem que quereis corromper a mulher para assim, com mais facilidade, destruirdes a Minha Igreja, a Família e a Pátria!
A Minha Justiça destruiu as cidades imorais de Sodoma e Gomorra. Pior será o castigo que terá lugar dentro de pouco tempo, como vem anunciando a Minha Santíssima Mãe em La Salette, Lourdes, Fátima e outros lugares. Ó almas que viveis no lodo imoral, na vida cristã fácil, cômoda e libertina, semeando por toda a parte a morte espiritual, olhai-Me crucificado! Meditai sobre o inferno, onde caem as tantas almas que, no seu tempo, viveram dando-se a todos os gostos, prazeres, modas, diversões, etc. Que será de vós?
As mulheres que quando viviam eram louvadas, aplaudidas, admiradas, imitadas e perseguidas por tanto exibicionismo dos seus corpos, agora, quem se recorda delas? Onde estão as suas conquistas? Onde estão o seu dinheiro, jóias, fama? Onde estão os corpos que tanto mostravam? Fogo eterno os consome, fogo que devora e não mata. Ao contrário, as que aqui viviam modestamente, suportando azedas críticas e zombarias que ferem, por causa de seu pudor e respeito para Comigo, gozam para sempre a eternidade na Minha companhia e na de Maria, Minha Mãe Santíssima.
Se a tua mão, o teu pé, o teu olho ou as tuas modas são motivo de escândalo, corta-os e atira-os para longe de ti, pois mais te vale entrar sem eles no Reino dos Céus, que caíres com os mesmos no Fogo Eterno. Quem teme e respeita os homens e as modas não é digno de Mim! A todos os homens e mulheres digo: Apartai-vos das modas ofensivas e pecaminosas, ainda que percais a família, amigos, dinheiro, fama e a própria vida. Aos meus fiéis bispos, sacerdotes, religiosas e seculares, convido-os a quem com Prudente Valentia, defendam a Minha Causa e os Meus templos do aviltamento das modas obscenas e vergonhosas; caso contrário, o Braço da Minha Divina Justiça cairá rigoroso sobre todos aqueles que tem obrigação de dar testemunho da Minha Vida. Bem aventurado quem escuta as Minhas Palavras e as pratica!"

Revelações de Nosso Senhor Jesus Cristo a Santa Ângela de Foligno


OBS: Agradecimentos ao site Rainha Maria do meu amigo Dilson Kutscher, por ter colocado este artigo tão esclarecedor. 

JESUS É MESTRE, PASTOR E AMIGO



JESUS É MESTRE, PASTOR E AMIGO


Diz Jesus:

“Não me perguntais para onde é que estamos indo? A preocupação pelo dia de amanhã terá feito ficar muda a vossa língua, e Eu não vos pareço mais ser vosso Mestre?”
Os doze levantam a cabeça. São doze rostos aflitos, ou pelo menos estonteados, os que se viram para o rosto tranqüilo de Jesus, e ouve-se apenas um “Oh!”, que sai das doze bocas. E, depois dessa exclamação de todos, faz-se ouvir a palavra de Pedro, que fala por todos: “Mestre, Tu sabes que és para nós sempre o mesmo. Mas é que, desde ontem de tarde, estamos como quem recebeu uma grande pancada na cabeça. E para nós está parecendo um sonho. E Tu, nós vemos e sabemos que és Tu, mas Tu nos parece... como se estivesses longe. Um pouco já nos tinha ficado essa sensação, quando falaste com teu Pai, antes de chamar Lázaro, e desde quando o tiraste de lá, todo amarrado, usando apenas de tua vontade, e o tornaste vivo só com a força do teu poder. Tudo isso nos dá medo. Eu falo por mim... mas creio que o mesmo se dê com todos. Agora, enfim... Nós... Aquela partida tão rápida e misteriosa!”
“Será que tendes dois medos? Percebeis que está chegando o perigo? Não tendes, não sentis a falta de força para enfrentar e superar as últimas provas? Dizei-o com toda a liberdade. Ainda estamos na Judéia, mas também estamos perto das estradas baixas para a Galiléia. Cada um pode ir-se embora, se quiser ir em tempo para não ser odiado pelo Sinédrio.”
Os apóstolos se agitam com essas palavras. Os que estão estendidos sobre a grama, que os raios do sol fizeram ficar morna, se assentam. Os que estavam sentados põem-se de pé. E Jesus continua: “ Porque, a partir de hoje, Eu sou o Perseguido pelo Sinédrio. Ficai sabendo disso. A estas horas está para ser lido nas quinhentas tantas sinagogas de Jerusalém, e daquelas cidades que o puderem receber, edital emitido ontem à hora sexta, onde consta que Eu sou o grande pecador que cada um que souber onde Eu estou, tem o dever de denunciar-me ao Sinédrio, para que ele me capture...”
Os doze apóstolos gritam, como se já o estivessem vendo preso. João se agarra ao pescoço de Jesus, gemendo: “Ah! Eu sempre previa!”, e soluça fortemente. Alguns fazem imprecações contra o Sinédrio, outros invocam a Justiça divina, outros choram, e outros ficam como umas estátuas.
“Calai-vos. Escutai. Eu nunca vos enganei. Eu sempre vos disse a Verdade. Como Eu pude, vos defendi e protegi. A vossa proximidade de Mim foi-me sempre amável, como a de uns filhos. Também Eu não escondi de vós a minha última hora. Os meus perigos... a minha Paixão. Mas aquilo eram coisas minhas, exclusivamente minhas. Agora, são os vossos perigos, a vossa segurança e a de vossas famílias que hão de ser postos em consideração. E Eu vos pelo que o façais. Tendes para isso liberdade completa. Não considerarei essas coisas, pensando no amor que tendes por Mim, nem na escolha que de vós foi feita por Mim. Fazei de conta que Eu vos dispenso de todas as obrigações para com Deus e para com o seu Cristo. Fazei de conta que nos encontramos aqui, agora, pela primeira vez, e que vós, depois de me terdes ouvido, trocais idéias uns com os outros sobre se convém ou não acompanhar o Desconhecido, cujas palavras vos haviam comovido. Fazei de conta que Me estais ouvindo e vendo pela primeira vez, e que Eu vos diga: “Olhai como Eu sou perseguido e odiado e que quem me segue é perseguido e odiado como Eu, em sua pessoa, em seus interesses, em seus afetos. Vede bem que a perseguição pode terminar até com uma morte e com o confisco dos bens da família.” Pensai, e decidi. Eu vos amarei igualmente, mesmo se me disserdes: “Mestre, eu não posso ir contigo.” Ficais entristecidos? Não deveis ficar assim. Sejamos bons amigos, que decidem em paz e com amor o que há de fazer, com uma compaixão recíproca. Eu não posso deixar-vos ir ao encontro com o futuro, sem fazer-vos refletir antes. Eu não tenho falta de estima para convosco. Eu vos amo a todos. Mas Eu sou o Mestre. E o Mestre obviamente conhece os seus discípulos. Eu sou o Pastor, e o pastor obviamente conhece os seus cordeiros. Eu sei que os meus discípulos, expostos a uma prova, sem estarem suficientemente preparados para ela, não somente pela sabedoria que vem do Mestre, e que por isso é boa e perfeita, mas também pela reflexão, que deve provir deles, poderiam fracassar, ou, pelo menos, deixar de triunfar, como alguns atletas nos estádios. Moderarem-se a si mesmos e controlarem-se, é sempre uma sábia medida. Tanto nas pequenas, como nas grandes coisas. Eu, como Pastor, devo dizer aos meus cordeiros: “Agora Eu vou entrar em uma terra de lobos e de sanguinários. Tereis vós coragem de andar pelo meio deles? Eu poderia até dizer-vos já, quem é que não vai ter coragem de passar pela prova, por mais que Eu vos possa garantir, e com toda a certeza que nenhum de vós cairá pela mão dos carrascos que irão sacrificar o Cordeiro de Deus. A minha captura será de tal valor para eles, que só ela lhes bastará. Por isso, Eu vos digo: “Refleti”.
Há tempo, Eu vos dizia: “Não temais aqueles que matam”. Eu vos dizia: “Aquele que põe a mão no arado, e se vira para considerar o passado e o que pode perder ou adquirir, não está apto para a minha missão.” Mas aquilo eram normas para dar-vos a medida do que era ser discípulos, eram normas para o futuro, que virá quando Eu não for mais o Mestre, mas serão mestres os que me forem fiéis. Aquelas normas vos eram dadas para formar em vós uma alma forte. Mas, mesmo essa fortaleza, que não se pode negar que vós a devais ter, junto com o nada que vós éreis – Eu falo do vosso espírito – é ainda muito pouca, em comparação com o tamanho da prova. Oh! Não fiqueis pensando em vossos corações: “O Mestre está escandalizado conosco!”. Eu não me escandalizo. Pelo contrário, Eu vos digo que nem mesmo vós deveis, nem devereis escandalizar-vos com vossa fraqueza. Em todos os tempos futuros, entre os membros da minha Igreja, tanto os cordeiros como os pastores serão pessoas inferiores à grandeza de sua missão. Haverá épocas em que os pastores ídolos serão mais do que os verdadeiros pastores e do que os verdadeiros fiéis. Haverá épocas de eclipses do espírito de fé no mundo. Mas o eclipse não é a morte de um astro. Depois a beleza dele reaparece, e parece até mais luminosa. Assim é que vai ser o meu Ovil. Eu vos digo: “Refleti.” Eu vo-lo digo como Mestre, Pastor e Amigo. Eu vos deixo em plena liberdade de discutir entre vós. Agora vou lá para o meio daquela vegetação para rezar. E, um por um, cada um me irá dizer o seu pensamento. Eu abençoarei a vossa honestidade sincera, seja qual for. E vos amarei por tudo o que até aqui já me destes. 
Adeus.”


(de Jesus á Valtorta, Vol. 8, pgs. 446 a 450)


OBS: A resposta à esta reflexão que Jesus propôs aos Apóstolos, todos nós já sabemos qual foi. Não só prosseguiram ensinando a doutrina de Jesus, mas deram suas vidas por ela. Graças a Deus!


quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

QUAL A NOSSA ORIGEM?

                                                          O Big Bang nunca ocorreu


QUAL A NOSSA ORIGEM?


Eu tenho sempre atualizado as informações relacionadas com este tema. Acredito estar prestando um trabalho de elucidação a respeito da nossa origem, que não é outra, a não ser a procedência de nossos progenitores: Adão e Eva. Para quem já acredita, servirá como um acréscimo de fé, e para quem não acredita, servirá como uma porta, que se for aberta com boa vontade, o levará a verdade.
Que todos tenham uma boa leitura.


Evolucionismo, você acredita? Acredita nesta ideia, nesta teoria? Façamos então uma pequena reflexão a respeito. Quem surgiu primeiro na evolução, o homem ou a mulher? A semente ou a planta já formada? O ovo ou a ave já desenvolvida? Se houve um Big Bang, quem deu início a ele? Como se formou esta quantidade enorme de água existente no planeta, e como ela se mantém estável? Qual força controla a temperatura da Terra, para que nenhuma planta se queime ou congele? A evolução não responde a estas questões, e a  muitas outras, mas vamos nos aprofundar neste raciocínio mais um pouco.
No início nada existia, o vazio era tudo. O vazio é como se fosse uma tela em branco na frente de um artista, se o artista nada fizer nesta tela, ou se nem mesmo houver o artista, nada nela existirá, e assim ficará para sempre. Mas, se ele (o artista) decidir criar algo ali, eis aí o início proporcionado por um criador, ou seja, do nada se chegar a tudo o que existe, sem um criador, é acreditar no impossível. Não se imagine  vindo do nada acreditando na ocasionalidade.  Não se rebaixe intelectualmente acreditando que viemos do acaso sem o querer de um Deus. Não seja um pedaço de carne ambulante e pensante sem propósito e sem sentido, achando que quando se morre, tudo acaba. Do nada algo surge ou começa a existir somente com a mão de um Criador, caso contrário, seria uma escuridão perpétua, porque sem um “Querer” nada teria iniciado.

 “Se a ciência não se apoia em Deus, torna-se erro, e não mais nos eleva, mas avilta. O saber não é corrupção, mas religião.” (O Evangelho como me foi revelado – Valtorta - Vol-4-Pag.94)


A Evolução que não evolui.

A teoria da evolução ou evolutiva  entende-se um processo constante, atuante e permanente, ou seja, evolui através de mutações sucessivas milhares de espécies e continua a gerar vida ininterruptamente e espontaneamente. Este é o fundamento desta teoria, que exclui um criador. Sendo assim, por que ainda hoje não aparece do nada mais seres humanos primitivos, mais novas espécies de animais e mais plantas? Parou de existir o processo evolutivo?  Não há justificativa, nem explicação para existir evolução por um tempo e depois deixar simplesmente de existir.  Deveria, portanto, estar ocorrendo o surgimento de vida espontaneamente, seja vegetal ou animal ainda hoje. Onde é que estão estas mutações tão defendidas pelos evolucionistas? Não se sabe de nenhuma vida iniciada por este processo, não existe comprovação científica dizendo que o código genético de um ser vivo inicial é o mesmo daquele em que se transformou, ou seja, se um girino se transformou em um quadrúpede ambos devem ter o mesmo código genético. Eles dizem que tudo aconteceu em bilhões de anos, os cientistas adoram justificar o injustificável através de tempos extremamente longos, falam em bilhões, trilhões de anos para responder ao que não sabem, e assim supõem teorias fictícias. Se aconteceu somente por um tempo não é evolução, é CRIAÇÃO;  não existe evolução por um período de tempo, ou ela existiu e existe até hoje ou deixa de ser um processo evolutivo. Algumas pessoas admitem erroneamente que a evolução atuou somente no princípio dos tempos criando tudo que existe e depois simplesmente parou de atuar, de evoluir, é uma incoerência, uma contradição absurda, é admitir a inexistência da própria evolução.

A falta de inteligência na teoria evolutiva impossibilita a criação.

 Outro raciocínio também fundamental para discordar com o evolucionismo é a falta de inteligência neste processo ocasional na geração de vida. A Evolução não é nenhum ser pensante ou uma entidade individual superior, é um simples acontecimento ocasional. Sendo assim ocorre involuntariamente sem preparação alguma, não possui início, meio e nem fim definido, simplesmente acontece de uma hora para a outra. E desta forma abrupta, irracional e grosseira é incapaz de criar ou gerar qualquer forma de vida, e também visto a complexidade de cada vida existente no planeta, a beleza que cada uma tem, e a atuação de uma força sobrenatural na manutenção destas vidas. Sem inteligência nada se cria, sem inteligência nada acontece, e não basta criar, tem que cuidar, através de uma manutenção inteligente e constante de tudo que existe.

Inteligência criativa só existe com um único possuidor.

Uma inteligência agindo e fazendo tudo acontecer sem um possuidor desta inteligência, sem um autor, sem Deus, como alguns evolucionistas defenderam, inclusive em alguns livros satânicos, dizendo que existe uma “energia” atuante, não é verdade. Pelo simples fato dela precisar para existir de uma intelectualidade, personalidade, de um provedor individual, se não for assim, eu pergunto: Onde estava esta inteligência imaginária defendida por alguns quando tudo se iniciou, quando nada existia a não ser o vazio? Se nada existia, ela também não existia, mas então quem deu início a tudo que existe? Eis aí o início proporcionado por uma inteligência individual de intangível perfeição e única que existia onde nada existia, e sabemos de sua existência porque o universo se formou. A única inteligência que existe é a mesma que criou o universo, não existe outra.

A procriação só é possível com a criação

Alguns cientistas acreditam que somos descendentes do primata humano, dos homens das cavernas, do Neandertal e outras bestas sugeridas por eles, surgidos do acaso. Pois muito bem, se somos mesmo descendentes destes seres humanos primitivos, nesta teoria ocasional eles explicam apenas um ser evolutivo por espécie, ou seja, no caso do homem a procriação depende da mulher, porém ela é um outro ser e precisa ter a sua evolução. O homem surgiu da evolução, ótimo, mas a mulher tem que surgir com a sua evolução no mesmo lugar, na mesma época e na mesma hora para viverem juntos, procriarem e preservarem a espécie. Se adotarem a ideia de que estes dois seres diferentes, o homem e a mulher evoluíram juntos, terão de admitir a criação e não a evolução. É simplesmente impossível ocorrer a evolução espontânea de macho e fêmea da mesma espécie ao mesmo tempo, porque esta teoria teria que contar com a sorte, uma vez que surge ocasionalmente, e considerando os milhões de anos em que poderia ocorrer,  reduz a possibilidade deste acontecimento a zero. Com os outros animais, aves e peixes,  ocorre a mesma coisa, estão supondo a evolução em pares e ao mesmo tempo, o que é um agravante severíssimo contra esta ideia, pois existem milhares de animais, a ocorrência com apenas um é inconcebível, imaginem com milhares, evoluindo todos, cada qual com seus pares e na mesma região para que possam se encontrar e acasalar, é uma coisa incabível , coisa de ficção científica. Só a criação resolve esta questão!
É óbvio que a existência e permanência de uma vida animal ainda hoje só é justificada  se no seu início macho e fêmea surgiram juntos, pois esta é a única condição da procriação e preservação de uma espécie ou de qualquer espécie. E a única hipótese de dois seres diferentes (macho e fêmea) surgirem ao mesmo tempo e lugar no planeta é com a criação.

As mutações não aconteceram

 Como as primeiras espécies de animais surgidas espontaneamente adquiriram vida? Como os olhos se abriram, o coração começou a bater e a respiração se iniciou? Uma coisa é surgir, outra é começar a viver. Não há explicação científica para isto, e nem haverá, somente um fator sobrenatural poderia dar vida a todo ser vivo, e teria que ser obrigatoriamente um Deus. Aqui para estas questões eu já ouvi dizerem que tudo aconteceu em trilhões de anos, com varias mutações, de uma célula para um girino, do girino para um anfíbio, do anfíbio para um animal quadrúpede e deste animal quadrúpede para os homens das cavernas até o homem moderno de hoje. É usado o tempo para explicar o surgimento e as mutações inconcebíveis e incompreensíveis. Já sabemos que é impossível haver mutações de um animal para outro animal diferente espontaneamente, nem mesmo em um trilhão de anos multiplicado por cem esta obscenidade ocorreria.
Onde estão as provas das aberrações ocorridas durante a translação entre as mutações?
De acordo com a teoria da evolução, durante a translação das mutações entre seres vivos, esta metamorfose genética  transforma-se em seres mutantes, não são nem uma coisa nem outra, são aberrações animalescas indefinidas, são monstruosidades genéticas que na imaginação dos evolucionistas existiram para justificar esta teoria.
Então somos todos mutantes, resultado de sucessivas mutações?
Já imaginaram quantas mutações cada ser vivo sofreu para chegar no que é hoje, e a quantidade de bestialidades que este processo evolutivo supostamente desenvolveu?  Não está  parecendo uma história de ficção científica, um mundo louco cheio de mutantes andando por todos os lados?

Não éramos nada e nunca seremos alguma coisa

A função deste processo evolutivo é sempre evoluir, portanto todos os animais existentes hoje não são mais do que uma mutação que sofrerá mutações e mais mutações no futuro e para sempre. O ser vivo nunca será um ser vivo específico, uma espécie.
Exemplo: O leão não foi um leão no passado e não será um leão no futuro.
Se admitirem que existe um fim no processo evolutivo, terão de admitir que no início de cada ser vivo, no seu DNA já estava definido o tipo de espécie que seria, e  neste caso não haveria necessidade de mutações, e nem de evolução.
Concluindo este raciocínio, a definição desta teoria evolucionista seria:
 Não éramos nada e nunca seremos alguma coisa.

Quem surgiu primeiro, o ovo ou a galinha?

Entre escolher ao ovo ou à galinha, os evolucionistas irão preferir considerar que a galinha surgiu primeiro, e tendo surgido, botou o ovo. Mas esperem um pouco! Como ela botou o ovo se não existia o galo? Se o galo demorar muito para surgir a galinha morre e os ovos não vêm, e se a evolução errar, ao invés de vir o macho da galinha pode vir o macho do elefante retirando qualquer possibilidade de procriação. Caso os evolucionistas escolham dizer que o galo é que surgiu primeiro, teria o mesmo final desastroso, sem procriação, porque a Evolução não pensa, não possui inteligência, depende da sorte. E estas palavras: sorte, ocasional, espontânea, fortuita, o universo, que é um ser vivo gigantesco, desconhece.
Para Deus foi muito mais fácil, Ele fez surgir a galinha e o galo juntos,  já adultos.

A Beleza

O que é bonito e agradável aos olhos, a beleza existente nas plantas, nas aves, nos animais, no planeta todo, que nos encanta tanto, como explicar tamanha riqueza? Imaginar que uma flor belíssima surgiu sem um criador, é mentir para si mesmo. Algumas flores se assemelham a passarinhos, outras a borboletas, outras a anjinhos, outras a sapatinhos, algumas são simétricas, outras com formas geométricas perfeitas, é muita criatividade, variedade e beleza para surgir ocasionalmente.
E também existem flores que tem um procedimento Divino, como, por  exemplo, o belíssimo girassol que vive olhando para o sol, desde o nascente até o poente, no dia seguinte vira-se novamente ao nascente e assim sucessivamente todos os dias, num acontecimento sobrenatural que só pode ser explicado como obra de Deus. É uma planta que se move sozinha, regida por um astro incandescente a milhões de quilômetros de distância.
Devemos reconhecer o fato de que a beleza  e tudo que é belo, não se faz por acaso, é necessário um artífice, um manuseio, um modelador inteligente para se chegar à beleza. Alguma coisa ocorrida por acaso ou por acidente, seria um borrão horrível e indecifrável. Nada que evolui espontaneamente fica bonito.
Exemplificando o que ocorre sem um criador, imagine um vulcão em constante erupção, toda lava incandescente expelida por ele desliza  montanha abaixo e no seu caminho vai deixando inúmeras formações rochosas, num processo ocasional e espontâneo, porém nenhuma destas formações  fica bonita, muito pelo contrário, ficam horríveis e disformes.
 Esta beleza toda que se vê em tudo que existe, agradando aos olhos e ao coração, nos fazendo sorrir, é o reconhecimento da alma existente em nós proveniente do mesmo criador, que em seu templo humano irradia contentamento e bem estar pela beleza mostrada, nos fazendo sentir felizes por dentro e por fora. No encontro destas duas obras de Deus, a alma e a beleza, sendo uma espiritual e outra visual e material, acontece um magnetismo, uma atração consensual e inevitável geradora de delícias imanadas ao portador da alma receptadora da visão. Quando se fala em beleza, imediatamente se pensa em um feitor, em um artista, em Deus.

A procedência Divina

Se a semente vem da árvore e a árvore vem da semente, indica que no início houve um Criador.
Nós sabemos a  procedência das sementes atuais: são das árvores que as geraram; e destas também sabemos a procedência, que é da árvore anterior a ela e, assim, seguimos até chegar à primeira árvore de cada espécie surgida no planeta. Mas de onde vieram estas primeiras sementes que geraram as primeiras árvores? Dizer que as primeiras sementes surgiram da terra ou da água espontaneamente, é uma teoria insustentável por dois motivos:
·         1º - Porque se isto fosse verdade ainda hoje veríamos surgir novas sementes de espécies diferentes em todos os cantos da Terra, mas isto não ocorreu e não está ocorrendo. As espécies que existem hoje são as mesmas que já existiram.
·         2º - É a certeza de que somente as árvores já formadas podem produzir sementes.
Como as sementes precisam estar maduras para eclodirem e dar início a uma árvore,  pressupõe-se, por ser lógico e absolutamente imprescindível, que as primeiras sementes foram colocadas na terra, vieram de fora da Terra, chegaram prontas para o plantio.
Isto nos leva a deduzir visto a complexidade e engenhosidade desta explosão de vida que são as sementes, que um ser superior as criou e aqui na Terra as colocou, ficando excluída com este raciocínio qualquer possibilidade de ter existido evolução.

 “ O homem tem sempre diante dos olhos os fundamentos da fé. O Gênesis vive na natureza. Agora se alguém souber ver, saberá também crer. Estas flores de tão suave perfume e a matéria com que foram feitas estas suas corolas pendentes, contrastando tanto com este junípero espinhoso e com aquela giesta agressiva, pode tudo isso ter-se feito por si mesmo? E olha lá, aquele pintarrouxo pode ter-se feito assim sozinho, com aquela dedada de sangue dessecado sobre o seu pescoço flexível? E aquelas duas rolas, onde e como conseguiram pintar-se com aquele colar de ônix posto sobre o véu de suas penas cinzentas? E lá aquelas duas borboletas, uma preta com grandes círculos de ouro e rubi, e a outra branca com listras azuis, onde terão elas encontrado aquelas joias e fitas para as suas asas? E este rio? É água tudo bem, mas de onde veio? Qual é a primeira fonte da água como elemento? “ Olhar já quer dizer crer, se soubermos ver”. Olhar quer dizer crer, mas olhamos pouco demais o Gênesis vivo que está a nossa frente.”(de Jesus à Valtorta)

As datações

 É através das datações de fósseis acima de 10.000 anos que está a força desta tese para descredenciar a Criação. Portanto existe um mistério nas datações feitas pelos cientistas, alguma norma ou conceito de datação está sendo mal entendido na obtenção destas datações de fósseis sempre astronômicas. Lembrando que nenhuma datação de fósseis acima de 5000 anos é confiável, devido aos métodos utilizados.

O Genoma é criação Divina

Quando eu estudava e ainda hoje é apresentada aos alunos uma atividade escolar descrevendo, através de uma sequência de desenhos, uma transformação, iniciando com o macaco e com 4 ou 5 modificações, supondo metamorfoses entre o macaco e o homem, onde  tentam explicar a nossa descendência do macaco. Ora, eu como desenhista que sou, poderia desenhar 4 ou 5 metamorfoses entre a mosca e o elefante, e assim “ provaria”  a descendência do elefante; ou desenharia 4 ou 5 metamorfoses entre a pulga e o camelo, “ provaria”, assim, a descendência do camelo através dos milhões de anos de evolução. São só desenhos, suposições, arrogâncias, interesses pessoais, mentiras e nada mais. Acreditar que um peixe deu origem aos primeiros quadrúpedes terrestres através da evolução, ou que de um macaco se originou o homem, ou qualquer outro tipo de ser vivo se transformando em outro ser vivo completamente diferente, não é ciência e sim ficção científica. Todo ser vivo foi criado único e será exatamente como foi criado até o fim de sua vida; assim como foram todas as suas gerações passadas e serão as futuras. Se nasce peixe, morre peixe; se nasce quadrúpede, morre quadrúpede; se nasce homem, morre homem; assim como foi o primeiro, será o último.
 O código genético  (Genoma) de cada espécie  não evolui para se transformar em outro código genético jamais, pois se trata de um código único e específico para cada tipo de ser vivo. Estamos falando de uma obra de arte, uma criação perfeitíssima, que define,  que personaliza e precisou de uma inteligência sobre humana para criá-la. Acham possível uma obra de arte tão perfeita como o “Definidor Universal de Espécies “ existir sem o querer de um Deus? A definição de Genoma pelos cientistas é: O Genoma é a soma de genes que define como vai se desenvolver e funcionar um ser vivo. O Genoma é transmitido de geração em geração e determina a espécie do ser vivo, no Genoma encontram-se gravadas características hereditárias encarregadas de dirigir o desenvolvimento biológico de cada indivíduo. Tendo uma definição tão clara como esta, deveriam ser os primeiros a defender a criação. Alguns cientistas seduzidos pelas ideias de Charles Darwin corroboram com a teoria evolutiva incrementando novas alegações para dar crédito as suas convicções ilusórias e fantasiosas admitindo até mutações nos genomas, mas se isto fosse verdade eles deixariam de ser o que são, um código genético, não conseguiríamos mais defini-los completamente porque sempre estaria faltando alguma parte onde supostamente estaria ocorrendo as mutações sucessivas através dos tempos, ele não poderia mais ser usado para resolver problemas de identificação em processos criminais ou judiciais de paternidade, ou de qualquer outra identificação de espécies diferentes de seres vivos.
 Cada animal nasce com o código genético herdado de seu pai e mãe, definindo-o da mesma espécie progenitora e igualmente os seus pais herdaram de seus avós e assim sucessivamente até chegar ao primeiro animal desta espécie (macho e fêmea) criados por Deus com o código genético específico para esta espécie. Quando se admite estas mutações através dos tempos, deve-se pensar primeiro se foi o macho ou a fêmea que sofreu tal transformação, imaginar que ocorreram ao mesmo tempo e ainda para se tornarem em mutações semelhantes é adivinhação, é chute, não é ciência. Os genomas desmentem por si só a ideia evolucionista, e a sua existência em todos os seres vivos é prova de que a criação Divina existiu, de que nunca houve qualquer tipo de mutação, ou transformação evolutiva entre seres vivos através dos tempos. Os genomas e Deus andam juntos, um é a cria, e o outro é o Criador.

O padrão identificando um único criador

Já observaram como a grande maioria dos animais tem um padrão construtivo, um padrão de feitio, demonstrando que todos vieram de uma mesma fonte criadora de um único artífice. E falo apenas do que é visível, externo.
Todos têm uma cabeça, um pescoço, um tronco com quatro membros, dois olhos, duas orelhas, um nariz e uma boca. Existe também um padrão na cabeça, os olhos sempre horizontais e na parte de cima da cabeça, o nariz ao meio, a boca sempre abaixo e as orelhas uma de cada lado da cabeça.
Todos os animais mamíferos seguem este padrão de criação. No homem, como andamos eretos,  precisamos apenas de dois membros de locomoção e os outros dois ficam livres para as mais diversas funções. As asas das aves não deixam de ser dois membros e o nariz, ou orifício de respiração está sempre acima do bico, mantendo a sequência padronizada da cabeça. Os peixes não têm os quatro membros de locomoção substituídos por barbatanas, mas têm o padrão de feitio da cabeça, além de alguns répteis e anfíbios.
Se observarmos, veremos que de fato houve uma preocupação em fazer os animais familiarizados, homogêneos nestes pontos, padronizados nestes quesitos, evidenciando um criador.
 Um padrão nesta proporção gigantesca e diversificada de seres vivos no planeta Terra só existe quando alguém  o faz, quando alguém  o quer, não existe outra hipótese.

A alimentação providencial

Outro raciocínio que também nos faz acreditar na criação é a providencial existência de alimentação para a sobrevivência de todos os animais do ecossistema terrestre. Quando surgiu o primeiro animal carnívoro já deveria estar existindo diversos animais para servirem de alimento a este animal carnívoro, e igualmente para estes que serviam de alimentação, já deveriam ter o seu alimento à disposição, e assim sucessivamente com todos os seres vivos. Faz nos pensar em uma sequência lógica na criação, para que todos os animais tivessem seus alimentos disponíveis, e uma manutenção providencial para a sobrevivência deles. É como se todo o ecossistema vivesse sob o fio da navalha, qualquer deslize ou descontrole faria grande parte de seres vivos desaparecer. O homem deve ser excluído desta sequência alimentícia porque ele não faz parte dela, é o único animal capaz de produzir seu alimento, seja animal ou vegetal,  sem interferir neste sistema de preservação, e também não faz parte da alimentação de nenhum outro animal.
Foi necessário também um limite, um controle de animais, pois o excesso, um descontrole populacional faria desaparecer seu alimento devido ao alto consumo e, consequentemente,  a sua extinção. Neste ponto chegamos na causa, nas muitas formas propositais feitas por Deus de limitar as espécies para a sobrevivência de todas. Está ligado não somente na quantidade de consumo alimentício de cada animal, mas também na quantidade das variedades de espécies, de crias por espécie e de tempo de vida de cada espécie. A inclusão ou exclusão de uma espécie mudaria o funcionamento de uma grande parte do conjunto alimentício.
Nada neste mundo e no Universo existe por acaso, tudo tem uma função, um propósito e se completam para a continuidade de todo o sistema relacionado à vida. O mundo dos microrganismos, dos insetos, das aves, dos répteis, dos vegetais e dos animais se entrelaçam, são dependentes uns dos outros e cada espécie existe porque as outras também existem conjuntamente.
Cada espécie de ser vivo precisa de uma certa espécie de ser vivo para se alimentar e assim se preservar, continuar sobrevivendo, sugerindo que deveriam surgir juntos, pois só assim teriam sustentabilidade. Esta complexidade na alimentação de cada um deles e sua imensa variedade sobreviveram até os dias de hoje e há pelo menos 8.000 anos desde o início da criação, demonstrando que todos os seres vivos foram criados a ”dedo”, escolhidos, selecionados, eles se completam e são dependentes uns dos outros. Dando a entender que não poderiam surgir aos poucos, e sim todos de uma só vez. Faz-nos pensar que todo ser vivo é proveniente de uma inteligência criadora simplesmente inatingível, pois foi necessário pensar no conjunto da obra e não simplesmente em criar por criar, sem uma diretriz, sem um selecionador.
A sobrevivência dos seres vivos não poderia esperar pela “ paciente” evolução com milhares de mutações em bilhões de anos, devido a esta urgência no surgimento da alimentação de cada um deles. Na Bíblia, onde só há verdades, está escrito que tudo foi feito em seis dias, corroborando com a conclusão do raciocínio acima.
Conclui-se que evolucionismo é uma obra de ficção científica, nunca existiu, é uma grande mentira tentando tirar de Deus a criação de tudo que existe, e é baseada em suposições, teorias sem comprovação científica, se sustentam em datações extremamente longas e duvidosas para tentar responder ao que não conseguem, induzindo a sociedade ao erro, ao esquecimento de Deus, e ao desmerecimento do Criador.
 A teoria da evolução será sempre uma simples teoria, um conto de fadas, e uma das maiores mentiras já contadas à sociedade. Ela é o câncer da alma, porque faz a pessoa desacreditar em Deus, na outra vida, e com isso perde o direito de entrar no Reino que não tem fim, e se lá para a luz não vai, só pode ficar então com as trevas, a escuridão, o tormento sem fim.

“ Vós inchais vossas mentes com os rios da vossa ciência, e falais de evolução, como para dardes um sinal da fossa formação espontânea. O homem animal ao evoluir-se, se tornará o super homem. Vós dizeis assim. Sim. Assim é. Mas a meu modo. No meu campo. Não no vosso. Não será passando da espécie dos quadrúpedes para os homens, mas sim passando-se da dos homens para a dos espíritos. E tanto mais crescerá o espírito, quanto mais evoluirdes.” ( de Jesus a Valtorta.).

Jesus, que é a segunda pessoa da Trindade, parte integrante de Deus, esteve presente no momento da criação do Universo e de tudo que existe na Terra. E nos diz como tudo foi feito:

“ Eis a página infinita sobre a qual as águas correntes vêm escrever a palavra “ Creio”. Pensai no caos do Universo, antes que o Criador quisesse ordenar os elementos e estabelecer entre eles a maravilhosa sociedade que deu aos homens a terra e tudo o que ela contém, e ao firmamento os astros e os planetas. Nada de tudo isto existia antes. Nem como um caos informe, nem como coisa já feita em ordem. E Deus a fez. Portanto, Ele fez primeiro os elementos. Pois eles são necessários, ainda que as vezes nos pareçam nocivos. Mas pensai bem e sempre. Não há nenhuma pequena gota de orvalho que não tenha a sua boa razão de ser. Não há inseto, por pequeno e molesto que seja, que não tenha a sua boa razão de ser. E assim também não existe montanha, por mais monstruosa que seja, vomitando de suas vísceras fogo e pedras incandescentes, que não tenha sua boa razão de ser. Não existe ciclone sem motivo. E não há passando das coisas para as pessoas, não há acontecimento, não há pranto, não há alegria, não há nascimento, não há morte, não há esterilidade ou maternidade fecunda, não há longo convívio nem rápida viuvez, não há desventuras de misérias e doenças, como também não há prosperidade de meios e de saúde que não tenha a sua boa razão de ser, ainda que assim não pareça à miopia e soberba do homem, que vê e julga com todas as cataratas e com todas as névoas que acompanham as coisas imperfeitas. Mas o Olho de Deus, mas o Pensamento sem limitações de Deus, vê e sabe. O segredo para se viver imunes dessas dúvidas estéreis, que nos põem nervosos e nos exaurem, que envenenam os nossos dias na Terra, está em saber crer que Deus tudo faz por amor e não na estulta intenção de atormentar por atormentar.
Deus havia criado os anjos. E uma parte deles por não terem querido acreditar que já estava bom o nível de glória em que Deus os havia colocado, se haviam rebelado e, com seus espíritos queimados pela falta de fé em seu Senhor, haviam tentado assaltar o trono inacessível de Deus. As harmoniosas razões dos anjos que tinham fé, eles haviam oposto a sua discordância, o pensamento injusto e pessimista, e esse pessimismo que é falta de fé, os tinha transformado de espíritos de luz, como haviam sido feitos em espíritos das trevas.
Vivam para sempre aqueles que no Céu como na terra, sabem fundamentar seus pensamentos em um pressuposto cheio de luz. Nunca se enganarão completamente, ainda que os fatos os estivessem desmentindo. Não se enganarão, pelo menos no que se refere aos seus espíritos, os quais continuarão a crer, e esperar, a amar acima de tudo a Deus e depois ao próximo, permanecendo por isso com Deus pelos séculos dos séculos.
O Paraíso já tinha libertado desses orgulhosos pessimistas, os quais viam como escuras até as mais luminosas obras de Deus, assim como na terra os pessimistas veem escuras até as ações mais sinceras e brilhantes do homem, ou por quererem viver separados em uma torre de marfim,  ou por se crerem os únicos perfeitos, eles se auto condenam a uma prisão escura, que termina nas trevas do reino inferior, o reino da negação. Porque o pessimismo é negação.
Deus, pois, fez o conjunto dos seres criados. E , como, para compreender o mistério glorioso de Nosso Ser Uno e Trino, é necessário saber crer e ver que, desde o princípio, o Verbo existia, e estava junto de Deus, unidos pelo Amor perfeitíssimo, que só podem expandir dois, que são Deus sendo Um, assim igualmente para se ver o conjunto dos seres criados como ele é, é necessário olhá-lo com os olhos da fé, porque no seu ser, assim como um filho traz em si o indelével reflexo do Pai, assim o conjunto dos seres criados tem em si o indelével reflexo do seu Criador. Veremos que também aqui no princípio foi o céu e a terra, depois foi a luz, comparável ao amor. Porque a luz é alegria, como o é também o amor. E a luz é a atmosfera do Paraíso. E o Ser incorpóreo que é Deus, é Luz, e é o Pai de toda luz intelectiva, afetiva, material, espiritual, assim no céu como na Terra.
No princípio foi o céu e a terra, e por eles foi dada a luz, e pela luz todas as coisas foram feitas. E como no Céu altíssimo foram separados os espíritos de luz dos espíritos das trevas, assim no conjunto dos seres criados, foram separadas as trevas da luz, e foram feitos o dia e a noite e o primeiro dia, conjunto de seres criados, foi com sua manhã e sua tarde, com seu meio dia e sua meia noite. E quando o sorriso de Deus, a luz, voltou depois da noite, eis que a mão de Deus, a sua poderosa vontade se estendeu sobre a Terra informe e vazia, se estendeu por sobre o céu, onde vagavam as águas, um dos elementos já libertados do caos, e quis que o firmamento separasse o vaguear desordenado das águas entre o céu e a terra, para houvesse um véu dos fulgores do paraíso, medida às águas superiores, para que sobre a agitação dos metais e dos átomos, não caíssem dilúvios sobre a Terra, arrancando e desregrando as coisas que Deus reunia.
A ordem estava estabelecida no céu. E a ordem se fez sobre a Terra, pela ordem que Deus deu as águas espalhadas pela terra. E o mar se fez. Ei-lo. Sobre ele como sobre o firmamento, está escrito: “ Deus existe”. Seja qual for a intelectualidade de um homem e a sua fé ou a sua falta de fé, diante desta página, na qual brilha uma partícula da infinitude que é Deus, na qual está testemunhado o seu poder, porque nenhum poder humano e nenhum assentamento natural de elementos podem repetir, nem mesmo na menor medida, um prodígio igual, o homem é obrigado a crer. A crer não só no poder, mas na bondade do Senhor, que por este mar dá alimento e estradas ao homem, dá sais salutíferos, dá moderação para o sol e espaço para os ventos, dá sementes a terra, uma distante da outra, dá vozes às tempestades, para que eles chamem de novo essa formiga, que é o homem em comparação com o infinito que é seu Pai, e dá-lhe meios para elevar-se contemplando mais altas visões, em mais altas esferas.
Três são as coisas que mais falam de Deus na criação que é todo testemunho dele: A luz, o firmamento e o mar.  A ordem astral e metereológica, reflexo da ordem Divina, a luz que só um Deus podia fazer, o mar, a potência que só Deus depois de tê-lo criado podia por dentro de firme limites, dando-lhe movimento e voz, sem que por isso como um turbulento elemento de desordem, ele cause prejuízo à terra que o suporta em sua superfície.” ( O Evangelho como me foi Revelado-Valtorta-Vol.4).

A paz de Jesus.


Antonio Carlos Calciolari.