quarta-feira, 5 de agosto de 2020

O VÍRUS QUE FOI CRIADO EM LABORATÓRIO


O VÍRUS QUE FOI CRIADO EM LABORATÓRIO

 

O Covid-19, que está colhendo vítimas e infecções em todo o mundo, não é um vírus natural, mas foi criado por um laboratório de Wuhan e precisamente no Laboratório de Bio-segurança 4. Para a construção dessa "quimera" - como é chamado de criação de um organismo no laboratório - não apenas cientistas chineses, mas também franceses e americanos contribuíram. Até alguns meses atrás, essa tese era definida como "conspiração" e era criticada com desprezo por aqueles que defendiam a "inocência" da China; foi persuadido como absurdo por vários estudiosos que defendiam a "inocência" da ciência. A partir de hoje, esta tese é apresentada com uma extensa documentação, datas, fatos e nomes de um cientista de renome internacional, professor Joseph Tritto, presidente da WABT (Academia Mundial de Ciências e Tecnologias Biomédicas), com sede em Paris,

O professor Tritto, 68 anos, é o autor do livro publicado hoje para os tipos de editora Cantagalli: China Covid 19. A Quimera que mudou o mundo. Nas 272 páginas do livro, lidas com paixão, como se fosse um livro amarelo, o professor Tritto explica as origens do vírus com precisão e firmeza científica, a partir da tentativa chinesa de estudar vacinas contra a SARS; inserir genomas do HIV nos organismos (o que os torna mais agressivos); adição de elementos do coronavírus descobertos em morcegos "ferradura", com um método chamado " sistema de genética reversa 2 ".

O principal responsável por esses experimentos de engenharia genética é o professor Shi Zheng Li, chefe do laboratório Wuhan. Mas este centro contou com a ajuda do governo francês e do instituto Pasteur, com os quais os chineses aprenderam o uso dos genomas do HIV. Depois, há a ajuda de alguns cientistas americanos, incluindo o prof. Ralph S. Baric, da Universidade da Carolina do Norte, e financia da ajuda ao desenvolvimento dos EUA (Usaid). Os cientistas dos EUA estavam interessados ​​em estudos sobre coronavírus, que, no entanto, até 2017 eram proibidos em seu país, devido à sua periculosidade.

O professor Tritto possui um currículo respeitável: é médico especialista em urologia, andrologia, microcirurgia de infertilidade, professor de microtecnologia e nanotecnologia (Reino Unido e Índia). Professor visitante e diretor de nano-medicina, na Amity University, em Nova Delhi (Índia). E por essa mesma razão, ele pode se aprofundar no significado dessas pesquisas feitas em Wuhan. Segundo o professor Tritto, essa pesquisa nasceu para combater doenças, mas gradualmente se transformou em estudos de bioengenharia para construir armas biológicas letais.

Não é por acaso que nos últimos cinco anos o laboratório Wuhan recebeu os maiores fundos de toda a China para pesquisa virológica, tornando-se um laboratório de pesquisa muito avançado que a Academia de Ciências e o governo chinês possuem. colocados sob seu controle direto.

Segundo o professor Tritto, o professor Shi Zheng-Li "provavelmente não tinha interesse em trabalhar para fins militares ou outros fins, a menos que fosse forçada a fazê-lo. Ninguém duvida de sua boa fé. " Mas é fato que, após a enorme publicidade no laboratório, causada pela pandemia, hoje o chefe-geral do Instituto Wuhan de Virologia foi nomeado major-general do exército do povo chinês, Chen Wei, ao qual se juntou uma equipe onde o nome de Zhong Nanshang se destaca, um famoso pneumologista com longa experiência em doenças pulmonares infecciosas. O general Chen Wei também é especialista em armas bioquímicas e bioterrorismo.

O Instituto Wuhan de Virologia era, portanto, praticamente uma delegacia de polícia e colocado sob o controle das Forças Armadas. Nada se sabe sobre o professor Shi Zheng-Li: ela parece ter desaparecido.

Os cientistas não causam boa impressão no livro: movidos pelo desejo de conhecimento, tornam-se ansiosos por poder, carreira, carreira e dinheiro. Parte do livro é dedicada à questão da pesquisa de vacinas, na qual cada instituto e laboratório competem entre si, não pelo bem da medicina e para salvar os milhões de portadores de coronavírus, mas apenas para serem os primeiros a vender vacinas para todo o mundo. Nesta China, há um professor: segundo o professor Tritto, Pequim não disponibilizou a estrutura genética original do coronavírus (vírus mãe), mas apenas divulgou dados parciais. E porque? Porque somente com a estrutura original do vírus é possível produzir uma vacina verdadeiramente universal, eficaz em todos os pontos do globo. Com o tempo, os vírus sofrem mutações e uma vacina produzida por um vírus mutante é eficaz apenas em um determinado período e em uma determinada área.

Em resumo: em vez do amor à ciência, existe apenas um comércio de mente estreita.

Mas não devemos esquecer - e nem o professor Tritto - os muitos heróis dessa pandemia. Além de médicos e enfermeiros que deram a vida para tratar pacientes que chegaram em avalanches nas salas de emergência, os primeiros médicos que relataram a presença de uma epidemia em Wuhan, depois foram sentenciados ao silêncio pela polícia e ameaçados de demissão . Falamos do professor Ai Fen, o primeiro a falar já em novembro de uma "influência estranha", silenciada pelas próprias autoridades do hospital; do professor Li Wenliang, oftalmologista, que também foi silenciado e morreu de Covid-19, infectado por um de seus pacientes. Até o professor Ai Fen não é mais conhecido e parece não rastreável.

O livro do professor Tritto também afeta a Organização Mundial da Saúde, que se tornou - segundo muitos - um "fantoche" nas mãos da liderança de Pequim, tendo cedido seus silêncios à epidemia.

No entanto, o volume não olha apenas para o passado: o professor Tritto apela às regras mundiais de pesquisa em quimeras, ao funcionamento dos laboratórios de segurança P4, às relações entre laboratórios militares e civis, forçando a China e outros países a se inscrever Convenção sobre Armas Biológicas e Toxinas.

Bernardo Cervellera

Fonte: AsiaNews - Via: https://www.aldomariavalli.it/2020/08/04/il-covid-19-e-stato-creato-nel-laboratorio-di-wuhan-ora-e-in-mano-allesercito-cinese/


terça-feira, 4 de agosto de 2020

COMO SER MERECEDORES DE CONHECER DEUS?





COMO SER MERECEDORES DE CONHECER DEUS?

 

“Oh! Senhor! Senhor! Dize-nos, então, como é que podemos encontrar-te e conhecer que és Tu quem nos está falando, e onde é que estás, depois que tiveres ido embora daqui,” exclamam diversos.

E alguns ainda continuam: “Nós somos gentios, e não conhecemos a Tua Lei. Não temos tempo para ficar aqui e acompanhar-te. Como faremos para termos aquela virtude que nos torne merecedores de conhecer a Deus?”

Jesus sorri, radiante de beleza, em sua felicidade por estas conquistas no meio dos gentios e, com doçura explica:

“Não vos preocupeis em saber muitas leis. Irão estes, (e põe a mão sobre os ombros de Pedro e de Tadeu), levar minha Lei pelo mundo. Mas, enquanto ele não chegam lá, tende por norma de lei as seguintes e poucas frases nas quais está resumida a minha Lei de Salvação. Amai a Deus com todo o vosso coração. Amai as autoridades, os parentes, os amigos, os servos, o povo, e até os inimigos, como vos amais a vós mesmos. E, para estardes seguros e não pecardes, antes de fazer qualquer ação, tanto se ela for mandada, como se for espontânea, perguntai a vós mesmos: “Gostaria eu que o que estou querendo fazer a este, fosse feito a mim?” E, se percebeis que não gostaríeis, não o façais. Com estas simples linhas vós podeis traçar para vós o caminho pelo qual Deus virá a vós, e vós ireis a Deus. Porque ninguém quereria que um filho lhe fosse ingrato, que alguém o matasse, que algum outro lhe roubasse, ou lhe levasse a esposa, ou lhe desonrasse a irmã, ou a filha, ou lhe usurpasse a casa, os campos ou os servos fiéis. Com esta regra sereis bons filhos e bons pais, bons maridos, irmãos negociantes e amigos. Portanto sereis virtuosos, e Deus virá a vós.

Eu tenho ao meu redor, não somente hebreus e prosélitos, nos quais não há malícia, quero dizer, que vêm a Mim, não para apanhar-me em faltas, como fazem aqueles que vos expulsaram do Templo, para que não viésseis à vida, mas também aos gentios de todas as partes do mundo. Eu vejo os cretenses, os fenícios misturados com os habitantes do Ponto e da Frígia, e há um daquelas praias até onde chegam as águas do mar desconhecido e que é a passagem para outras terras, onde também serei amado. E vejo gregos com sicilianos, cirenaicos com asiáticos. Pois bem. Eu vos digo: Ide!

Dizei em vossas cidades que a Luz está no mundo, e que venham à Luz.

Dizei que a Sabedoria deixou os Céus, a fim de fazer-se pão para os homens, e água para os homens doentios.

Dizei que a Vida veio para tornar sãos de novo, e ressuscitar o que está doente e morto.

E dizei... dizei que o tempo passa rápido como um relâmpago de verão. Quem tem desejo de Deus, venha. Seu espírito conhecerá a Deus. Que tem desejo de cura, venha. A minha mão, enquanto estiver livre, dará cura àqueles que a invocam com fé.

Dizei sim! Ide, e ide solícitos, e dizei que o Salvador está esperando por aqueles que o esperam e desejam uma ajuda do alto, pela Páscoa, na Cidade Santa.

Dizei-o aqueles que têm necessidade, e também àqueles que são simplesmente uns curiosos. Daquele movimento impuro da curiosidade pode brotar para eles a centelha da fé em Mim, da Fé que salva. Ide! Jesus de Nazaré, o Rei de Israel, o Rei do mundo, convoca os representantes do mundo para dar-lhes os tesouros de suas graças, e tê-los como testemunhas de sua elevação, que o consagrará como triunfador pelos séculos dos séculos, Rei dos reis e Senhor dos senhores. Ide! Ide!

Na aurora de minha vida terrena, de muitos lugares vieram os representantes do meu povo, para adorar o Pequeno, no qual o Imenso se ocultava. A vontade de um homem, que se julgava muito poderoso, mas que era um servo da Vontade de Deus, havia ordenado que se fizesse um recenseamento do Império. Obedecendo a uma desconhecida e imutável ordem do Altíssimo, aquele homem pagão devia fazer-se o pregoeiro de Deus, que queria ver todos os homens de Israel espalhados por todas as partes da terra, na terra deste povo, perto de Belém Éfrata, assombrados com os sinais vindos do céu, ao primeiro vagido do menino, e os representantes deles vieram adorar o Rei dos reis, ainda pequenino, pobre, ainda longe de sua coroação na Terra, mas já... oh! já Rei, na presença dos Anjos.

Chegou a hora na qual serei Rei na presença dos povos. Rei, antes de voltar para o lugar de onde vim. Ao pôr-do-sol do meu dia terreno, a tarde de minha vida de homem, é justo que aqui estejam homens de todos os povos para verem aquele que vai ser adorado, e no qual se encerra toda a Misericórdia. E que fruam dela os bons, as primícias desta messe nova, desta Misericórdia, que se abrirá como uma nuvem de Nisã, para encher os rios de águas salutares, a fim de que fiquem aptos para tornar frutíferas as árvores plantadas em suas margens, como se lê em Ezequiel.”

 

(O Evangelho como me foi Revelado- Maria Valtorta-Vol,8,pg. 283,284,285)



sábado, 1 de agosto de 2020

A VERDADEIRA APARÊNCIA DA SAGRADA FAMÍLIA





Este é o verdadeiro rosto de Jesus Cristo. Imagem do Véu de Verônica ou véu de manoppello. Tal imagem se fez miraculosamente durante a crucificação, quando Verônica colocou este véu para enxugar o rosto de Jesus, depois que havia caído de joelhos pela segunda vez. Lembrando que seu rosto tinha a cor de marfim, olhos azuis e cabelos loiros.

 

A VERDADEIRA APARÊNCIA DA SAGRADA FAMÍLIA

Todos os textos abaixo, são enxertos da obra: O Evangelho como me foi Revelado de Maria Valtorta, mística italiana, que milagrosamente por um desejo de Deus, voltou ao passado e viu inúmeras passagens da vida de Jesus, referentes aos Evangelhos, escrevendo esta obra magnífica, nos revelando coisas que somente quem lá estava poderia saber. Valtorta viu o nascimento de Jesus e de Nossa Senhora, viu todos os personagens que compõem a história da Boa Nova. Viu a crucificação de Cristo e inúmeros personagens daquela época, como um filme que passava na sua frente.

 

APARÊNCIA DE ANA MÃE DE NOSSA SENHORA

“Vejo o interior de uma casa. Nela está sentada, junto a um tear, uma mulher de idade. Diria, ao vê-la com os cabelos antes pretos, agora grisalhos, e no rosto não enrugado mas já cheio daquela seriedade que vem com os anos, que ela possa ter entre cinqüenta e cinquenta e cinco anos. Não mais.

Ao indicar estas idades femininas me baseio no rosto de minha mãe, cuja imagem tenho mais que nunca presente nestes dias que me lembram os seus últimos dias junto ao meu leito... Depois de amanhã fará um ano que não a vejo mais... Minha mãe tinha um rosto jovial, sob os cabelos precocemente embranquecidos. Aos cinqüenta anos brancos e pretos como no fim de sua vida. Mas, exceto a maturidade do olhar, nada denunciava os seus anos. Por isso poderia errar também ao dar às mulheres idosas um certo número de anos.

Esta que vejo tecer, em uma sala toda clara de luz, que penetra da porta escancarada sobre um grande pomar – diria, um sitiozinho, porque se estende num sobe e desce, até uma encosta verde – é bonita em seus traços decididamente hebreus. Olhos negros e profundos que, não sei porquê, me lembram os de João Batista. Mas este olhar sendo altivo como de uma rainha, é doce também. Como se sobre o seu coruscar semelhante ao de uma águia fosse estendido um tênue véu azul. Doce e apenas um pouco triste, como de quem pensa, e lamenta, as coisas perdidas. A tez é morena, mas não excessivamente. A boca, levemente grande, é bem desenhada, e está parada num gesto austero que porém não é duro. O nariz é comprido e delicado, levemente inclinado para baixo. Um nariz aquilino que fica bem com aqueles olhos. È robusta, mas não é gorda. Bem proporcionada e creio que alta, a julgar de como aparece sentada.” (Voume 1, páginas 12 e 13)

 

APARÊNCIA DE JOAQUIM PAI DE NOSSA SENHORA

“Entra do pomar um homem ancião, um pouco mais baixo que Ana, com uma cabeça de cabelos espessos todos brancos. Um rosto claro, de barba aparada, com dois olhos azuis como turquezas, entre cílios de um castanho claro, quase loiro. Está vestido de marrom escuro.” (Volume 1. Página 14)

 

APARÊNCIA DE NOSSA SENHORA

“As mulheres chegam repentinamente, alegres com um embrulhosinho rosado entre tecidos alvos.

É Maria, a Mãe! Uma Maria pequenina que poderia dormir entre o círculo de braços de um menino, uma Maria comprida tanto quanto um braço, uma cabecinha de marfim tingido de um rosa tênue, com a boquinha e carmim, que já não chora mais, mas faz o instintivo ato de sugar, tão pequena que não se sabe como fará para pegar um mamilo, um narizinho diminuto entre duas pequenas faces arredondadas e ao tocá-lo abrem-se os olhinhos, dois pedacinhos do céu, dois pontinhos inocentes e azuis que olham, mas não vêem, entre cílios delicados, de um loiro tão intenso que é quase róseo. Também os cabelinhos sobre a cabecinha arredondada são a cor loiro-rosado de algumas qualidades de mel quase branco.” (Volume 1, páginas 30 e 31)

“Eis ali de novo entre os linhos e entre os braços do pai terreno, com quem ela se assemelha. Não agora. Agora é um esboço de homem. Eu digo que se assemelhará quando mulher. Da mãe não tem nada. Do pai, a cor da pele, dos olhos e certamente dos cabelos, se agora são brancos, na juventude eram certamente loiros como o dizem as sobrancelhas. Do pai as feições, feitas mais perfeitas e gentis por ser ela mulher, a Mulher. Do pai o sorriso, o olhar, o modo de mexer-se e a estatura. Pensando em Jesus, como o vejo, acho que Ana deu a sua estatura ao Neto e a cor marfim mais carregada da pele. Enquanto que Maria não tem aquela imponência de Ana, um palmo mais alta e flexível, mas tem a gentileza do pai.” (Volume1, página 32)

Resumo: Nossa Senhora foi uma mulher de estatura mediana, loira de olhos azuis.

A APARÊNCIA DE JOSÉ ESPOSO DE MARIA

“A um canto estou vendo José. Ele está falando com um velhinho ainda robusto. José deve ter seus trinta anos. É um belo homem, de cabelos curtos e um tanto crespos, de cor castanho escuro, como sua barba e seus bigodes, que formam um sombreado, pondo em relevo o queixo, subindo pelas faces, que são moreno-avermelhadas, não oliváceas, como costumam ser os homens morenos. Ele tem os olhos escuros, bons e profundos, muito sérios e parecendo até um pouco tristes. Mas, quando ele sorri, como está fazendo agora, seus olhos se tornam alegres e joviais. José está todo vestido de um marrom claro, muito simples, mas muito bem arrumado.” (Volume 1, página 75)

 

APARÊNCIA DE JESUS

“Sim. Quando a luz volta a ser suportável aos meus olhos, vejo Maria com o Filho recém-nascido nos braços. Um pequenino, todo róseo e gorducho, que agita os braços e esperneia. Tem as mãozinhas do tamanho de botões de rosa e seus pezinhos caberiam na corola de uma rosa. Ele solta vagidos com sua vozinha trêmula, como a de um cordeirinho que acaba de nascer, abrindo a boquinha, que mais parece um moranguinho selvagem, e mostrando a lingüinha que bate repetidamente contra o véu palatino. Move a cabecinha loira, que me parece quase sem cabelos, essa cabecinha redonda que a mamãe sustenta na palma de sua mão, enquanto olha o Menino e o adora, chorando e rindo ao mesmo tempo, e se inclina para beijá-lo não em sua cabecinha, mas em seu peito, onde está batendo seu coraçãozinho, batendo por nós...” ( Volume 1, página 169 e 170)

“Jesus é um belo jovenzinho de doze anos, alto, bem feito de corpo e robusto, sem ser gordo. Parece mais adulto do que é, pela sua compleição. Já está alto, tanto que atinge os ombros da mãe. Te, ainda o rosto redondo e rosado do Jesus menino, rosto que, depois, com a idade juvenil e viril, se emagrecerá, e se tornará de uma cor indefinida, a cor de certos delicados alabastros, que lembram, de longe, o amarelo rosado.

“Os olhos, também os olhos, são ainda de menino. Grandes, bem abertos e com uma centelha de alegria, perdida no meio da seriedade com que olham. Depois, eles não serão mais tão abertos... As pálpebras descerão até a metade dos olhos, para encobrir o mal demasiado que está no mundo aos olhos do Santo e puro.”(Volume 1, página 243)

“Os belos cabelos loiros já estão carregados de uma tonalidade bem diferente de quando Ele era pequenino, agora com cintilações de cobre nas volutas dos caracóis, que terminam abaixo das orelhas. Não são mais os caracoizinhos curtos e leves da infância. Não são ainda os cabelos ondulados e compridos até os ombros, onde terminam em macias madeixas aneladas na idade adulta. Mas já tendem mais para esta última na cor e na forma.” (Volume 1, página 244)

“Jesus e João(Batista) se olham por um momento. Jesus com aquele seu olhar azul tão doce. João com seus olhos severos, pretos, cheios de uma luz intensa. Vistos de perto, eles são a antítese um do outro. Os dois são altos. Jesus é loiro, de cabelos compridos e penteados, com um rosto de um branco marfim, de olhos azuis, de roupa simples, mas majestosa. João tem cabelos pretos, que caem lisos sobre as costas, desiguais em comprimento, com uma barba preta e rala, que lhe cobre quase todo o rosto, sem impedir que se possam notar suas faces escavadas pelo jejum, seus olhos pretos e febris, sua pele escura bronzeada pelo sol e pelas intempéries. “ ( Volume 1, páginas 283 e 284)

Resumo: Jesus foi um homem alto, loiro de olhos azuis.

Apenas para a curiosidade de alguns, sobre a aparência de Judas Iscariodes, Valtorta o viu em diversas passagens, revelando que ele era um homem alto e negro.

 

Antonio Carlos Calciolari


quarta-feira, 29 de julho de 2020

A VACINA DO COVID É SEGURA?











PROVA DE QUE A VACINA DO COVID-19 É UM VENENO

Para quem duvidava de que a vacina poderia nos matar, conforme anunciado por vários Profetas do final dos tempos, segue abaixo as provas de que a Nova Ordem Mundial existe, e planeja de maneira cruel a diminuição da população mundial.

Nanopartículas patenteadas pela Microsoft na vacina Covid






Patente de nanopartículas por MICROSOFT
Em 26 de março de 2020, foi registrada a patente: "SISTEMA DE CRIPTOCURRÊNCIA USANDO DADOS DE ATIVIDADE CORPORAL", arquivada em 21 de setembro de 2018 nos Estados Unidos (data de prioridade) pela empresa MICROSOFT TECHNOLOGY LICENSING LLC, que, como você sabe, Foi criado por Bill Gates e com quem ele ainda mantém um relacionamento próximo.
Quando tomarem conhecimento desta patente, assim que a Figura 1 * (imagem) e seu conteúdo forem examinados, eles entenderão, com horror, as intenções criminais de Bill Gates e seus aliados do NOM, especialmente o Presidente Macron e seu governo.
// * Resumo: a atividade do corpo humano associada a uma tarefa fornecida ao usuário pode ser usada em um processo de extração de um sistema de criptomoeda. Um servidor pode fornecer uma tarefa a um dispositivo de usuário acoplado comunicativamente ao servidor. Um sensor acoplado comunicativamente a ou composto pelo dispositivo do usuário pode detectar a atividade corporal do usuário. Os dados de atividade corporal podem ser gerados com base na atividade corporal detectada pelo usuário. O sistema de criptomoedas acoplado de forma comunicativa ao dispositivo do usuário pode verificar se os dados da atividade corporal satisfazem uma ou mais condições estabelecidas pelo sistema de criptomoedas e conceder a criptomoeda ao usuário cujos dados da atividade corporal são verificados. (...) Algumas adições exemplares a esta divulgação podem usar a atividade do corpo humano associada a uma tarefa fornecida ao usuário como uma solução para os desafios de "mineração" em sistemas de criptomoeda. Por exemplo, o processo de extração pode usar uma onda cerebral ou calor corporal emitido pelo usuário quando o usuário executa a tarefa fornecida por um provedor de informações ou serviços, como exibir um anúncio ou usar determinados serviços da Internet. Em vez do enorme trabalho computacional exigido por alguns sistemas convencionais de criptomoeda, os dados gerados com base na atividade corporal do usuário (....) //
Existe apenas uma maneira de introduzir essas nanopartículas no corpo da população mundial: vacinar com a vacina anti-Covid-19, que já é fabricada e contém as nanopartículas. Eles já fabricaram e testaram várias vacinas.
Ao clicar no link a seguir, você pode ver que a vacina ChAdOx1 nCoV-19 já foi fabricada e testada:
Em 28 de maio de 2020, desde Pomezia, Itália:
Esta vacina foi fabricada inserindo no vírus vetor ChAdOx1 (adenovírus chimpanzé) pelo processo descrito no seguinte link:



Fabricação da vacina ChAdOx1 nCoV-19:
A vacina definitiva contém as nanopartículas descritas na patente PCT / US2019 / 038084 da Microsoft, das quais as pessoas vacinadas nunca serão capazes de se livrar, e que permitirá à 5G controlar definitivamente o vacinado, um conservante que provavelmente será o timerosal, um derivado mercurial. mortalmente estritamente proibido em humanos e antibióticos como neomicina, polimixina, etc.
Não há dúvida de que quem souber dessas informações se recusará a ser vacinado.
https://micheldogna.fr/vaccin-obligatoire-le-grand-piege/



terça-feira, 28 de julho de 2020

REVELAÇÕES SOBRE A EXISTÊNCIA DO INFERNO







REVELAÇÕES SOBRE A EXISTÊNCIA DO INFERNO


É grande o número de pessoas que não acreditam no Inferno, e não me refiro apenas aos ateus, agnósticos e praticantes de seitas, mas também à um grupo de cristãos. Para entender a necessidade da punição, é necessário primeiro refletir sobre o Amor, sobre Deus, e sua natureza. O pedestal que sustenta o Amor é a Justiça, porque sem Justiça não se chega a Verdade, e se não se chega a Verdade não há motivo para a existência do próprio Amor. Um depende do outro para a sua própria subsistência. Com a Justiça se obtém o mérito da alma para a salvação ou condenação, é o que define a separação do que é bom ou mau. Para aqueles que dizem: “Deus é amor e misericordioso e não vai punir ninguém, e o Inferno não precisa existir”, fiquem sabendo que esta negação do julgamento e da punição eterna, fazem parte das consequências do pecado, e nada pode mudar este entendimento lógico, racional e imutável.
Jesus foi um exorcista, e somente por esta afirmação, se poderia chegar sem qualquer contestação a esta verdade: Se Jesus libertou as pessoas de demônios, de onde vieram e para onde foram após o exorcismo? Será possível que um entendimento tão simples não seja compreendido? Será possível a mente humana não reconhecer o óbvio? A Bíblia nos dá luz sobre este assunto com os textos:
 “O Diabo, que as enganava, foi lançado no lago de fogo que arde com enxofre, onde já haviam sido lançados a besta e o falso profeta. Eles serão atormentados dia e noite, para todo o sempre.” Apocalipse 20:10
“O mar entregou os mortos que nele havia, e a morte e o Hades entregaram os mortos que neles havia; e cada um foi julgado de acordo com o que tinha feito. Então a morte e o Hades foram lançados no lago de fogo. O lago de fogo é a segunda morte. Aqueles cujos nomes não foram encontrados no livro da vida foram lançados no lago de fogo.” Apocalipse 20:13-15
"Então ele dirá aos que estiverem à sua esquerda: 'Malditos, apartem-se de mim para o fogo eterno, preparado para o Diabo e os seus anjos.” Mateus 25:41
“Eles sofrerão a pena de destruição eterna, a separação da presença do Senhor e da majestade do seu poder.” 2 Tessalonicenses 1:9
“Mas os covardes, os incrédulos, os depravados, os assassinos, os que cometem imoralidade sexual, os que praticam feitiçaria, os idólatras e todos os mentirosos - o lugar deles será no lago de fogo que arde com enxofre. Esta é a segunda morte". Apocalipse 21:8
“Mas eu digo a vocês que qualquer que se irar contra seu irmão estará sujeito a julgamento. Também, qualquer que disser a seu irmão: 'Racá', será levado ao tribunal. E qualquer que disser: 'Louco!', corre o risco de ir para o fogo do inferno.” Mateus 5:22
“Não tenham medo dos que matam o corpo, mas não podem matar a alma. Antes, tenham medo daquele que pode destruir tanto a alma como o corpo no inferno.” Mateus 10:28
“Pois Deus não poupou os anjos que pecaram, mas os lançou no inferno, prendendo-os em abismos tenebrosos a fim de serem reservados para o juízo.” 2 Pedro 2:4
“Se a sua mão o fizer tropeçar, corte-a. É melhor entrar na vida mutilado do que, tendo as duas mãos, ir para o inferno, onde o fogo nunca se apaga, onde o seu verme não morre, e o fogo não se apaga. E, se o seu pé o fizer tropeçar, corte-o. É melhor entrar na vida aleijado do que, tendo os dois pés, ser lançado no inferno, onde o seu verme não morre, e o fogo não se apaga. E, se o seu olho o fizer tropeçar, arranque-o. É melhor entrar no Reino de Deus com um só olho do que, tendo os dois olhos, ser lançado no inferno, onde o seu verme não morre,
e o fogo não se apaga'.”
Marcos 9:43-48
“O Filho do homem enviará os seus anjos, e eles tirarão do seu Reino tudo o que faz cair no pecado e todos os que praticam o mal. Eles os lançarão na fornalha ardente, onde haverá choro e ranger de dentes.” Mateus 13:41-42
"Porque Deus tanto amou o mundo que deu o seu Filho Unigênito, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna.” João 3:16
Não se pode deixar de ressaltar os testemunhos dos Santos, Mártires e Profetas, que falam com a boca de Deus, o pensamento Divino, os quais não podemos duvidar. Alguns deles tem os corpos incorruptos por dezenas e centenas de anos, até os dias de hoje, que é o aval de Deus eternizando seus corpos. Seria um sacrilégio, uma blasfêmia demasiadamente grande, um cristão, não aceitar como verdade absoluta os depoimentos destes Santos.
Jesus nos diz:
“E aqueles que dizem serem inúteis os profetas, Eu respondo: “ Quem é que vai por limites ao Senhor Altíssimo? Em verdade, em verdade Eu vos digo que profeta sempre haverá, enquanto homens houver. Eles são os archotes no meio das trevas do mundo. São as lareiras no meio do gelo do mundo. São os toques de trombeta, que despertarão aos que estiverem dormindo. São vozes que nos fazem lembrar de Deus e de suas verdades, que caíram com o tempo, no esquecimento e no descaso, e levam ao homem a palavra direta de Deus, suscitando frêmitos emotivos nos esquecidos e apáticos filhos do homem. Terão outros nomes, mas sua missão é igual, e também sua sorte de terem que passar pela dor humana e, depois por um gozo sobre-humano. Ai de nós, se não fossem esses espíritos, que o mundo inteiro irá odiar, mas que Deus amará em alto grau. Ai de nós, se eles não existissem para sofrer e perdoar, para amar e trabalhar, em obediência ao Senhor. O mundo pereceria no meio das trevas, do gelo, em um sopor de morte, em uma ignorância selvagem e embrutecedora. E por isso Deus os suscitará, e eles existirão sempre. E quem poderá impor a Deus que assim faça?”(OEvangelho como me foi revelado-Maria Valtorta, vol.8, pg. 212)
É recomendável, que para continuar a ler estas revelações infernais, é necessário estar em comunhão com Deus, rezando diariamente e se possível com jejuns. Uma pessoa despreparada espiritualmente pode não suportar esta verdade.
Lembremos aos consagrados aos corações de Maria e Jesus, que em todas as aparições de Nossa Senhora, ela nos advertiu sobre os demônios e sua morada. Firmes na fé e na verdade é nossa obrigação.
Irmãos em Cristo, não tenham dúvidas, permaneçam firmes na Sabedoria, na Fortaleza, na perseverança e na fé. Aqui alguns exemplos de Santos que heroicamente, tomados pelo Espírito Santo nos revelaram a respeito deste lugar terrível, de condenação eterna: O Inferno.

O INFERNO, SEGUNDO SANTA FAUSTINA KOWALSKA (Mensageira da Divina Misericórdia)

"Hoje, conduzida por um Anjo, fui levada às profundezas do Inferno. É um cavernoso lugar de grandes suplícios, e como é abissal a sua vastidão!Eis os diferentes tormentos que vi:
O primeiro castigo, que constitui o Inferno, é a perda de Deus.
O segundo castigo é o perpétuo remorso da consciência.
O terceiro castigo é o de que essa condição nunca mudará.
O quarto castigo é o do fogo que penetra a alma, embora sem a destruir; sendo um sofrimento terrível, um fogo puramente espiritual, aceso pela Ira de Deus.
O quinto castigo é a contínua treva e um horrível cheiro sufocante; e embora haja escuridão, os demônios e as almas danadas vêem-se mutuamente, reconhecendo todo o mal, quer de si mesmos, quer dos outros.
O sexto castigo é a constante companhia de Satanás.
O sétimo castigo é o tremendo desespero e o ódio a Deus, as maldições, pragas e blasfêmias.
Estes são os tormentos por que todos os condenados, em conjunto, passam, mas não se acabam aqui os suplícios. Há outros dirigidos a alguns réprobos em especial, que são as penas dos sentidos': Cada alma é atormentada no sentido com que pecou, de maneira horrível e indescritível. Existem pavorosas prisões subterrâneas, cavernas e poços de tormento, onde cada tortura difere da outra. Eu teria morrido só de ver essas terríveis expiações, se não fora a Onipotência de Deus haver-me amparado.
 Que todo o pecador saiba que, em cada um dos seus sentidos com que pecou, há de vir a ser atormentado por toda a eternidade. Escrevo isto por ordem de Deus, para que nenhuma alma se desculpe, dizendo que não há Inferno, ou que ninguém lá esteve e por isso não se sabe como ele é... Eu, irmã Faustina, por desígnio de Deus, visitei o abismo do Inferno, para que o possa noticiar às almas e testemunhar que ele existe. Sobre ele, não me é permitido falar agora, mas tenho ordem de Deus para deixar isto por escrito. Os demônios estavam cheios de ódio de mim; todavia, pela Vontade de Deus, eram obrigados a obedecer-me. E o que acabei de descrever dá apenas uma pálida imagem das coisas que vi. Notei, no entanto, uma coisa: A maior parte das almas que lá estão é justamente a daqueles que não acreditavam que o Inferno existe.
Quando voltei a mim, quase que não podia refazer-me do terror daquela visão .Como as almas sofrem horrores no Inferno! Por isso, rezo com mais fervor ainda pela conversão dos pecadores. Rogo incessantemente à Misericórdia de Deus para todos eles. 'Ó meu Jesus, preferia sofrer a maior agonia, até ao fim do mundo, do que Vos ofender com o menor pecado que fosse'. "('Diário da Irmã Faustina', Caderno II, 741)

Visão do Inferno da Santa Maria Serafina Micheli

Em 1883, a Irmã Maria Serafina Micheli (1849-1911), que será beatificada em Faicchio, na província de Benevent, diocese de Cerreto Sannita (Itália), em 28 maio de 2011, fundadora das Irmãs dos Anjos, estava passando por Eisleben, na Sassonia, cidade natal de Lutero. Naquele dia se festejava o quarto centenário do nascimento do grande herege (10 de novembro de 1483), que dividiu em duas a Europa e a Igreja, deste modo as ruas estavam lotadas, as varandas enfeitadas com bandeiras. Entre as numerosas autoridades presentes aguardava-se, a qualquer momento, a chegada do empreendedor Guglielmo I, que presidiria a celebração solene. A futura beata, embora notasse o grande tumulto, não estava interessada em saber a razão para aquele entusiasmo inusitado, seu único desejo era procurar uma igreja e rezar para poder fazer uma visita a Jesus Sacramentado. Depois de caminhar por algum tempo, finalmente, encontrou uma, mas as porta estavam fechadas. De todo modo, ela se ajoelhou na escadaria de acesso para fazer as suas orações. Sendo noite, não havia percebido que não era uma igreja católica, mas protestante. Enquanto rezava, o Anjo da Guarda lhe apareceu e disse: “Levanta-te, pois esta é uma igreja protestante”. E acrescentou: “Mas eu quero fazer-te ver o local onde Martinho Lutero foi condenado e a pena que sofreu em castigo do seu orgulho”. 
Depois destas palavras, ela viu um terrível abismo de fogo, no qual eram cruelmente atormentadas um incalculável número de almas. No fundo deste precipício havia um homem, Martinho Lutero, que se distinguia dos demais: estava cercado por demônios que o obrigavam a se ajoelhar e todos, munidos de martelos, se esforçavam, em vão, em fincar em sua cabeça um grande prego.
A Irmã pensou: se o povo em festa visse esta cena dramática, certamente, não tributariam honra, recordações, comemorações e festejos para um tal personagem. Em seguida, quando se apresentou a ocasião, recordou às suas irmãs que vivessem na humildade e no recolhimento. Estava convencida de que Martinho Lutero fora punido no inferno, sobretudo, por conta do primeiro pecado capital, o orgulho.

A VISÃO DO INFERNO, SEGUNDO OS VIDENTES DE FÁTIMA, PORTUGAL (Pastorinhos Jacinta, Lúcia e Francisco após a visão do Inferno)

" Nossa Senhora: «Sacrificai-vos pelos pecadores, e dizei muitas vezes, em especial sempre que fizerdes algum sacrifício:'Ó meu Jesus, é por Vosso amor, pela conversão dos pecadores e em reparação dos pecados cometidos contra o Imaculado Coração de Maria' ».

Irmã Lúcia: Ao dizer estas últimas palavras, abriu de novo as mãos, como nos dois meses anteriores. O reflexo pareceu penetrar a terra, e vimos como que um mar de fogo, e mergulhados nele, estavam os demônios e as almas, como se fossem brasas transparentes e negras ou bronzeadas, com forma humana, que flutuavam no incêndio, levadas pelas chamas que delas mesmas saíam, juntamente com nuvens de fumo, caindo para todos os lados, semelhante ao cair das fagulhas nos grandes incêndios, sem peso nem equilíbrio, entre gritos e gemidos de dor e desespero, que horrorizavam e faziam estremecer de pavor!Os demônios distinguiam-se por formas horríveis e asquerosas, de animais espantosos e desconhecidos, mas transparentes como negros carvões em brasa!(Deve ter sido ao deparar-me com essa terrível visão, que exclamei um «ai!», que alguns dizem ter-me ouvido). Assustados e como a pedir socorro, levantamos a vista para Nossa Senhora, que nos disse com bondade e tristeza:”Vistes o Inferno, para onde vão as almas dos pobres pecadores. Para salvá-las, Deus quer estabelecer no mundo a devoção ao meu Imaculado Coração. Se fizerem o que Eu vos disser, salvar-se-ão muitas almas e terão paz. A guerra vai acabar, mas, se não deixarem de ofender a Deus, começará outra ainda pior.«Quando virdes uma noite alumiada por uma luz desconhecida, sabei que é o grande sinal que Deus vos dá, de que vai punir o mundo dos seus crimes, por meio da guerra, da fome e de perseguições à Igreja e ao Santo Padre. Para a impedir, virei pedir a Consagração da Rússia a meu Imaculado Coração, e a Comunhão reparadora nos primeiros Sábados. Se atenderem aos meus pedidos, a Rússia converter-se-á e terão paz; se não o fizerem, espalhará os seus erros pelo mundo, promovendo guerras e perseguições à Igreja. Os bons serão martirizados; o Santo Padre terá muito de sofrer; várias nações serão aniquiladas. Por fim, o meu Imaculado Coração triunfará.O Santo Padre consagrar-me-á a Rússia, que se converterá, e será concedido ao mundo algum tempo de paz.”


O INFERNO, SEGUNDO SANTA TERESA D'ÁVILA (Doutora da Igreja)

" Estando um dia em oração, achei-me de repente, sem saber como e segundo me parece, toda metida no Inferno. Entendi que o Senhor queria que eu visse o lugar que os demônios lá me tinham preparado, e que eu havia merecido pelos meus pecados.Foi de brevíssima duração, mas, embora tivesse sido já há muitos anos, parece-me impossível esquecê-lo. A entrada (do Inferno) pareceu-me à maneira dum beco muito comprido e estreito, semelhante a um forno muito baixo, escuro e apertado. O chão pareceu-me de água com lodo muito sujo e de cheiro nauseabundo, cheio de lagartixas peçonhentas. No fundo, havia uma concavidade aberta numa parede, à maneira dum armário, onde me vi metida com muito aperto.Tudo isso, porém, eram deleites, em comparação com o que ali vi e senti... Senti um grande fogo na alma, que não entendo como se pode dizer e de que maneira ele é. As dores corporais são tão insuportáveis, que eu, nesta vida, apesar de já as ter sofrido tão intensamente, tudo isso é nada em comparação com o que ali senti. E segundo dizem os médicos, tive dos maiores sofrimentos que neste mundo se poderão padecer. Foi por terem-se me encolhido os nervos, ficando entrevada, além doutros tormentos diversos e muito variados, tendo sido alguns, como tenho dito, causados pelo Demônio.Pois tudo isso foi nada, em comparação com o que ali [no Inferno] vi e senti, sabendo que essas penas não mais haviam de ter fim. E no agonizar da alma: um aperto, uma sufocação, uma aflição tão sensível e com tão desesperado e aflitivo descontentamento, que eu não sei explicar. Porque o dizer que isso é uma sensação de ver arrancada a alma, é pouco, por assim parecer-nos que alguém põe termo à vida; mas ali é a própria alma que se despedaça continuamente, para sempre.
O fato é que eu não sei como entender aquele fogo interior e aquele desespero, sobrepostos a tão gravíssimos tormentos e dores.

Não percebia como assim tanto sofria, mas sentia-me a ser queimada e retalhada, ao que me parece; e digo que aqueles fogo e desespero interior são os mais dolorosos.Estando em tão pestilencial lugar, tão desesperada de toda a consolação, não havia como sentar-me ou deitar-me, não havia um sítio espaçoso, porque puseram-me nesta espécie de buraco feito na parede; porquanto estas paredes, que são espantosas à vista, apertam por si mesmas e tudo sufocam.
Não há luz, pois tudo são trevas escuríssimas. Eu não entendo como pode ser isto, porque, não havendo luz, vê-se tudo o que à vista pode causar horror.Não quis o Senhor que eu, então, visse mais nada de todo o Inferno; porém, depois tive outra visão de coisas terríveis, sobre o castigo de alguns vícios. Quanto à vista, pareceu-me ainda muito mais espantoso, mas como não sentia o tormento, não me causara tanto horror como na visão anterior, em que o Senhor quis que eu verdadeiramente sentisse aquelas dores e aflições no espírito, como se o corpo também as estivesse a padecer.Não sei como foi isso, mas bem compreendi ser grande mercê, pois o Senhor quis apenas que eu sentisse, numa visão brevíssima, do que me tinha livrado as Suas infinitas Misericórdia e Justiça.

Porque não é nada somente ouvir falar disso, nem por eu já ter meditado sobre esses tormentos - embora poucas vezes o fizesse, que só pelo caminho do temor não vai bem a alma -, nem sequer por os demônios atenazarem-me com vários suplícios que tenho padecido.Não, nada há como as penas infernais, porque se trata doutra coisa (imensamente pior). Enfim, são tão diferentes como a pintura o é da realidade; ou seja, o queimar-se aqui no mundo é muito pouco, em comparação com esse fogo de lá... E assim, não me recordo que tenha sofrido tribulações e dores, mesmo das maiores que na terra se podem padecer, que não passem de ninharias, comparativamente; pelo que julgo que, em grande parte, nos queixamos demasiado e sem razão. Portanto, volto a dizer que isso foi uma das maiores mercês que o Senhor me tem concedido, o que me tem aproveitado muitíssimo, tanto para perder o medo de todas as tribulações e provações desta vida, como para esforçar-me a suportá-las com paciência e resignação, dando por isso muitas graças ao Senhor, que me livrou assim, ao que agora me parece, de penas e sofrimentos imensamente maiores, tão horríveis e perpétuos.De então para cá, como digo, o pior deste mundo parece-me fácil e aprazível, em comparação com o dolorosíssimo momento que no Inferno eu vi e padeci. Tendo lido muitas vezes livros que dão algumas ideias aproximadas das penas do Inferno, espanta-me deveras como não as temia suficientemente, preocupando-me muito pouco com a sua verdadeira natureza e realidade. Deste modo, sinto imensa pena das almas que se podem condenar eternamente - dos protestantes em especial, porque já eram, pelo Batismo, membros da Igreja -, obtendo assim grande zelo de salvar almas, de tal modo me parece certo que, para livrar uma só alma de tão gravíssimos e eternos tormentos, padeceria muitas vidas e mortes de boa vontade. "(Santa Teresa de Jesus, 'Livro da Vida', Cap. XXXII)



O INFERNO, SEGUNDO SANTA JOSEFA MENENDEZ

" Vi muita gente do mundo a cair no Inferno, e agora as palavras não podem descrever, nem por assombro, os seus horríveis e espantosos gritos: “Condenado para sempre... Eu me enganava a mim mesmo... Estou perdido... Estou aqui para sempre, eternamente!” Os ruídos de confusão e blasfêmias não cessam, nem por um instante.
Um nauseabundo odor asfixia e corrompe tudo; é como queimar carne putrefata, misturada com alcatrão e enxofre... Uma mistura a que nada na terra pode ser comparável. Comecei a ouvir muitos gritos, e de seguida encontrei-me numa passagem muito estreita. Na parede existia uma espécie de nichos, donde sai muito fumo, mas sem chama e com muito mau odor. Eu não posso dizer o que se ouve, toda a classe de blasfêmias, de palavras impuras e terríveis.Uns maldizem o corpo... Outros maldizem seu pai ou sua mãe... Outros reprovam-se a si mesmos, por não terem aproveitado tal ocasião, tal luz, a fim de abandonarem o pecado. Enfim, é uma confusão tremenda de gritos de raiva e desespero... Mas o que não tem comparação com nenhum tormento é a angústia que sente a alma, vendo-se separada de Deus.
Para poder livrar-me do Inferno, e eu que sou tão medrosa para sofrer, nem sei ao que estou disposta.Não sei dizer o que sofro... É tremenda tanta dor... Parece que os olhos saíram do seu lugar; é como se mos tirassem, arrancando-os..  Os nervos contraem-se. O corpo está como dobrado, não pode mover-se, nem um dedo... O odor que existe é horrível, não se pode respirar, mas tudo isso é nada em comparação com a alma que, conhecendo a Bondade de Deus, vê-se obrigada a odiá-Lo, e sobretudo se O conheceu e amou, sofre muito mais... "(Cf. Josefa Menendez, 'Convite ao Amor Divino')



O INFERNO, SEGUNDO SANTA CATARINA DE SENA (Doutora da Igreja)

Diz-lhe Jesus:" Filha, a tua linguagem é incapaz de descrever os sofrimentos desses infelizes...
No Inferno, os pecadores padecem quatro tormentos principais: Primeiro tormento: é a ausência da Minha visão. Um sofrimento tão grande, que os condenados, se fosse possível, prefeririam sofrer o fogo, vendo-me, do que ficarem fora dele sem Me verem. Segundo tormento, como consequência, é o remorso que corrói interiormente o pecador, privado de Mim, longe da conversação dos Anjos, a conviver com os demônios. Aliás, a visão do Diabo constitui o terceiro tormento. Ao vê-lo, duplica-se o sofrer... Os infelizes danados vêem crescer os seus padecimentos ao verem os demônios. Nestes, eles conhecem-se melhor, entendendo que pela própria culpa mereceram o castigo. Assim, o remorso martiriza-os e jamais cessará o ardor da consciência. Muito grande é este tormento, porque o Diabo é visto no seu próprio ser; tão horrível é a sua fealdade, que a mente humana não consegue imaginar...
Segundo a Justiça Divina, ele é visto mais ou menos horrível pelos condenados, conforme a gravidade das suas culpas.O quarto tormento é o fogo.Um fogo que arde sem consumir, sem destruir o ser humano. É algo imaterial, que não destrói a alma incorpórea.Na Minha Justiça, permito que tal fogo queime, faça padecer, aflija; mas não destrua. É ardente e fere de modo crudelíssimo e de muitas maneiras.
A uns mais, a outros menos, segundo a gravidade dos seus pecados. "(Santa Catarina de Sena, 'O Diálogo', 14.3.2)


As visões do Inferno da Santa Francisca Romana

Na vida dessa mística italiana, as visões ocupam um lugar saliente. A propósito do que a Santa viu sobre o inferno, o escritor católico francês Ernest Hello apresenta um apanhado sucinto e sugestivo em sua obra “Physionomie des Saints”, o qual exporei abaixo. Inúmeros suplícios, tão variados quanto os crimes, foram mostrados à Santa em detalhes. Por exemplo, viu ela o ouro e a prata serem derretidos e derramados na boca dos avarentos. A hierarquia dos demônios, suas funções, seus tormentos, os diversos crimes aos quais presidem, foram-lhe apresentados. Viu Lúcifer, chefe e general dos orgulhosos, rei de todos os demônios e precitos, rei muito mais infeliz do que os próprios súditos. O inferno é dividido em três partes: o superior, o do meio e o inferior. Lúcifer encontra-se no fundo do inferno inferior. A Lúcifer, chefe universal, subordinam-se três outros demônios, os quais exercem império sobre os demais:
Asmodeu: que preside os pecados da carne, e era antes da queda um Querubim;
 Mamon: que preside os pecados da avareza, era um Trono. O dinheiro fornece, ele sozinho, uma das três grandes categorias.
Belzebu: preside aos pecados de idolatria. Tudo que tem algo a ver com magia, espiritismo, é inspirado por Belzebu. Ele é, de um modo especial, o príncipe das trevas, e mediante as trevas ele é atormentado e atormenta suas vítimas.
Uma parte dos demônios permanece no inferno, a outra no ar, e uma terceira atua entre os homens, procurando desviá-los do certo caminho. Os que ficam no inferno dão ordens e enviam seus embaixadores; os que residem no ar agem fisicamente sobre as mudanças atmosféricas e telúricas, lançando por toda parte suas más influências, empestando o ar, física e moralmente. Seu objetivo é debilitar a alma. Quando os demônios encarregados da Terra vêem uma alma enfraquecida pelos demônios do ar, eles a atacam no seu ponto fraco, para vencê-la mais facilmente. É o momento em que a alma não confia na Providência. Essa falta de confiança, inspirada pelos demônios do ar, prepara a alma para a queda solicitada pelos demônios da Terra. Assim, enfraquecidos pela desconfiança, os demônios inspiram na alma o orgulho, em que ela cai tanto mais facilmente quanto mais fraca esta. Quando o orgulho aumentou sua fraqueza, vêm os demônios da carne que atacam seu espírito. Quando os demônios da carne aumentam mais ainda a fraqueza da alma, vêm os demônios que insuflam os crimes do dinheiro. E quando estes diminuíram ainda mais os recursos de sua resistência, chegam os demônios da idolatria, os quais completam e concluem o que os outros começaram. Todos se articulam para o mal, sendo esta a lei da queda: todo pecado cometido, e do qual a alma não se arrependeu, prepara-a para outro pecado. Assima idolatria, a magia, o espiritismo esperam no fundo do abismo aqueles que foram escorregando de precipício em precipício. Todas as coisas da hierarquia celeste são parodiadas na hierarquia infernal. Nenhum demônio pode tentar uma alma sem a permissão de Lúcifer. Os demônios que estão no inferno sofrem a pena do fogo. Os que estão no ar ou na terra não sofrem atualmente tais penas, mas padecem outros suplícios terríveis, e particularmente a visão do bem que praticam os santos. O homem que faz o bem inflige aos demônios um tormento indescritível. Quando Santa Francisca era tentada, sabia, pela natureza e violência da tentação, de que altura tinha caído o anjo tentador e a que hierarquia pertencera.
Quando uma alma cai no inferno, seu demônio tentador é felicitado pelos demais. Mas quando a alma se salva, o demônio tentador recebe insulto dos outros, que o levam para Lúcifer e este lhe inflige um castigo a mais, além das torturas que já padece. Este demônio entra às vezes no corpo de animais ou homens. Ele finge ser a alma de um morto. Quando um demônio consegue perder certa alma, após a condenação desta transforma-se em tentador de outro homem, mas torna-se mais hábil do que foi a primeira vez. Aproveita-se da experiência que a vitória lhe deu, tornando-se mais forte para perder o homem. Santa Francisca observava um demônio em cima de alguém que estivesse em estado de pecado mortal. Confessado o pecado, via ela o mesmo demônio ao lado da pessoa. Após uma excelente confissão, o anjo mau ficava enfraquecido e a tentação não tinha mais o mesmo grau de energia. Ao ser pronunciado santamente o nome de Jesus, Santa Francisca via os demônios do ar, da terra e do inferno inclinarem-se com sofrimentos espantosos, tanto maiores quanto mais santamente o nome de Jesus fora pronunciado. Se o nome de Deus é pronunciado em meio a blasfêmias, os demônios ainda assim são obrigados a se inclinar, mas um certo prazer é misturado à dor causada pela homenagem que são obrigados a render. Se o nome de Deus é blasfemado por um homem, os anjos do céu inclinam-se também, testemunhando um respeito imenso. Assim, os lábios humanos, que se movem tão facilmente e pronunciam tão levianamente o nome terrível, produzem em todos os mundos efeitos extraordinários e ecos, dos quais o homem não é capaz de compreender nem a intensidade nem a grandeza.
Fonte:
http://reporterdecristo.com/o-inferno-visto-e-descrito-por-santa-francisca


Visão do Inferno segundo Dom Bosco.

INFERNO

l. O inferno é um lugar destinado pela justiça divina para punir com suplícios eternos os que morrem em pecado mortal. A primeira pena que os condenados sofrem no inferno é a pena dos sentidos, que são atormentados por um fogo que queima horrivelmente, sem nunca diminuir de intensidade. Fogo nos olhos, fogo na boca, fogo em todas as partes. Cada sentido sofre a própria pena; Os olhos: Sofrem pela fumaça e pelas trevas e são aterrados pela vista dos demônios e dos outros condenados. Os ouvidos: Dia e noite, só escutam contínuos uivos, prantos e blasfêmias. O olfato: Sofre enormemente pelo mau cheiro daquele enxofre e pez ardente que o sufoca. A boca:  É atormentada por sede devoradora e fome canina: "Et Famem patiéntur ut canes". O mau rico no meio daqueles tormentos, ergueu o olhar ao Céu e pediu, como grande graça, uma pequena gota de água para mitigar a secura de sua língua e até essa gota de água Ihe foi negada. Por isso, aqueles infelizes, atormentados pelo fogo, choram, gritam e se desesperam. Oh! inferno, inferno ! Como são infelizes os que caem nos teus abismos! - E tu que dizes, meu filho? Se agora não podes conservar um dedo sobre a pequena chama de uma vela, se não podes agüentar nem uma fagulha de fogo na mão sem gritar, como poderás agüentar-te então entre aquelas chamas por toda a eternidade?
2. A Segunda Pena é a Pena nas potências da alma.
Considera além disso, meu filho, o remorso que experimenta a consciência dos condenados. Eles padecerão um inferno na memória, na inteligência, na vontade.
MEMÓRIA: Recordarão continuamente ó motivo da sua perdição, isto é, por terem querido, secundar alguma paixão. Esta lembrança é o verme que nunca morre: Vermis eórum non móritur. Recordarão o tempo que Deus Ihes deu para evitar a perdição, os bons exemplos dos companheiros, os propósitos feitos e não cumpridos. Pensarão nos sermões ouvidos, nos avisos do confessor, nas boas inspirações para deixar o pecado; vendo que já não há remédio, lançarão gritos desesperados.
INTELIGÊNCIA: A inteligência conhecerá finalmente o grande bem que perdeu. A alma separada do corpo, ao apresentar-se no tribunal Divino, entrevê a beleza de Deus, conhece toda a sua bondade, chega quase a contemplar por um instante os cantos harmoniosíssimos dos Anjos e dos Santos. Que dor verificar que perdeu tudo isso para sempre! Quem poderá resistir a tais tormentos?
VONTADE: A vontade nada terá do que deseja, e ao contrário padecerá todos os males. Meu Filho, Tu que agora não te importas de perder o teu Deus e o paraíso conheceras tua cegueira quando vires; tantos companheiros teus, mais ignorantes e mais pobres do que tu triunfarem e gozarem no reino dos Céus, ao passo que tu serás arrojado para longe daquela pátria feliz, do gozo do mesmo Deus, da companhia da Santíssima Virgem e dos Santos. Eia pois, faz penitencia, não esperes para quando não houver mais tempo: entrega-te a Deus. Quem sabe se não é este o último chamado, e se não correspondes, quem sabe se Deus não te abandona e não te deixa cair naqueles eternos suplícios! Oh! Meus Jesus, livrai-me do inferno: A Poenis inférni libera me, Domine. Dom Bosco teve um sonho no qual era conduzido por um Anjo ao inferno. Assustado viu a condenação de varios alunos do seu oratório. Neste sonho existe uma verdadeira catequese sobre a condenação de uma alma. Vale a pena dar uma lida.
 Fonte: http://www.fimdostempos.net/inferno_visoes.html


 Visões do Inferno da coreana Hwa bi Jung


Tudo o que li sobre esta menina visionária e seu mentor, condizem com os ensinamentos da Igreja Católica. Na verdade enriquecem a doutrina Santa e eterna de Nosso Senhor Jesus Cristo, porque além dos relatos ela desenhou o que viu.
Conta a visionária: “Sempre fui a igreja desde criança, ficava imaginando como Deus era, mas na igreja eles só diziam que Deus era Luz, uma entidade de amor. Eles eram incapazes de falar sobre Ele em detalhes. Eu queria saber qual foi a intenção de Deus em ter criado os seres humanos. Qual foi seu propósito por nos salvar através de um Salvador, e o que acontece quando uma pessoa morre. Se existe realmente o Céu e o Inferno, como seria estes lugares em detalhes. Contudo em todas as igrejas que conhecia só enfatizavam a fé de maneira vaga e obscura. Sem esperança e frustrada, eu parei definitivamente de ir à igreja. Eu fui incapaz de superar a tristeza da vida, então decidi cometer suicídio. Na época eu tinha 16 anos de idade. O dia em que eu ia cometer o suicídio estava planejado, seria na próxima semana. E com a inspiração do Espírito Santo, eu acabei indo a Igreja a qual pertenço hoje. Eu fui capaz de sentir o nosso Deus de uma maneira diferente. Aprendi claramente através da palavra da Bíblia sobre a história de Deus, seu verdadeiro coração sobre a humanidade. Aprendi claramente sobre salvação, Céu e Inferno. O pastor me ensinava todo dia como viver a vida, como ser uma pessoa digna de ir para o Céu. Ele se tornou meu mentor na fé. “
“Foi no dia 22 de Maio de 2009, que na décima segunda noite orando, durante a oração comecei a ranger os dentes contra a minha vontade, eu não podia parar. Naquele momento a escritura de Mateus 25:30 passou pela minha mente. As palavras “é quente” saiu dos meus lábios e pensei que estava passando os sofrimentos do Inferno. Então eu vi uma série de quatro imagens. Como uma artista eu estava inspirada, para que as pessoas saibam sobre o coração do Senhor.” 
Artista: “Por eu orar por toda a noite, eu fui capaz de amar a Jesus mais do que nunca” … Um dia … Jesus veio e disse em meu coração: “Eu lhe mostrarei as coisas mais profundas do Céu".

Eu pensei que eu iria visitar o Céu, mas ao contrário disso, eu visitei o inferno. Assim que Jesus falou no meu coração, nós entramos dentro do mundo espiritual.
Enquanto eu seguia a Jesus, eu não parava de chorar…

Eu então comecei a ouvir gemidos, gritos e sons de lamentações… “Ahhhhhh!!!”
Artista: “A maioria das pessoas estão equivocadas e iludidas a respeito do inferno. Muitas delas pensam que só delas acreditarem em Jesus Cristo elas irão ao Céu. Algumas até pensam que quando elas morrerem isso terá sido tudo e que não haverá mais nada depois. Muitos acreditam como pensam e por isso vivem suas vidas da maneira que desejam … "
Satanás da TV: Enquanto as pessoas assistem filmes violentos seculares, demônios atormentam a alma da pessoa sem que a pessoa perceba. Quando a pessoa assiste as cenas na Televisão, a sua alma se encontra em tormento e dor. A alma acaba sendo danificada e machucada. Assistir programas de Televisão seculares, não ajuda de jeito algum que o Cristão progrida em seu amoroso relacionamento com Deus, nosso noivo Jesus. Nós podemos assistir alguns noticiários de vez em quando mas por favor, não assista Televisão em geral. Amem !!
Enquanto Jesus presenciava os pecados cometidos pelos homens, Ele chorava. Satanás e seus demônios amarram os corpos de pecadores com muita força com correntes de ferro e os controlam, com isso os pecadores se aprofundam mais e mais no pecado. Eu suplico a vocês que não pequem e também não vivam fazendo como desejam. No inferno os sentidos são centenas de vezes mais vividos em comparação ao que vivemos no mundo carnal e por causa disso a dor é mais severa.
Bebidas alcoólicas e o fumo do cigarro estão cheios de espíritos de serpentes.
Jesus levou muitas pessoas e as mostrou o inferno.
Jesus: “Eu vejo inúmeras pessoas caindo no eterno mar de fogo do inferno todos os dias… Por favor diga a essas pessoas o que você presenciou no inferno! Você deve dizer a todos a respeito do inferno! Diga as pessoas quão terrível é o inferno. Você deve pintar as cenas do inferno como se Meu coração estivesse em você. Desenhe as cenas com a dor do Meu coração."
Eles estão caindo no fogo do inferno.
Desenhe com a dor do Meu coração…
Enquanto eu pintava as cenas do inferno, Satanás me atacou severamente… mas eu queria, através dessas pinturas, exclamar o coração de Jesus para o mundo… Eu queria entregar a dor do coração de Jesus e como Ele sentia comovido pelas pessoas que estão caindo no inferno todos os dias.

Pessoas sendo atormentadas em cruzes. O castigo de quem não come o Pão da Vida.
Pessoas que não quiseram comer do pão da vida…
Castigo de quem participa de coisas proibidas 
Pessoas que não consultaram com Jesus as coisas das suas vidas mas tomaram suas próprias decisões e fizeram as suas próprias vontades.
 Pessoas que haviam bebido, comido e participado de coisas proibidas.
 Castigo de quem machuca com as palavras
Jesus: "Por favor diga para aqueles que machucam o coração de outras pessoas usando suas palavras, que eles não devem machucar ou ferir seus irmãos e irmãs em Cristo. Eles não devem dizer coisas descuidadosamente, falando sem cuidado ou amor."
Castigo dos mentirosos
A penalidade por mentir.
Castigo dos ladrões
Ladrões de dinheiro ou fundos…
Porque roubaram dinheiro serão penetradas por flechas e/ou espetadas por agulhas.
Perseguição do evangelho.
A primeira metade do quadro descreve os demônios que influenciam os perseguidores (Pessoas) a perseguir, prejudicar ou matar os mensageiros do evangelho completo e verdadeiro.
Este é o método que assassinos, estupradores e sequestradores serão atormentados.
Não consegue sair do Inferno
 Esta mulher vê o lado de fora… “Se eu somente pudesse sair daqui”
Eu gostaria de poder sair daqui…!
O castigo para as pessoas arrogantes e soberbas.
O lugar de insetos que está localizado no inferno. Este inferno é para as pessoas que pecaram em suas mentes usando seus pensamentos; e para aquelas que eram soberbas com seus próprios pensamentos e conhecimento. Seus corpos estão cobertos por inúmeros vermes e insetos. Os vermes e insetos no inferno são maiores do que os da Terra. Neste quadro milhões de vermes e insetos estão entrando e saindo da boca, dos ouvidos e da cabeça da pessoa. Eles penetram e percorrem por todo seu corpo.
Essas pessoas eram soberbas com os seus próprios pensamentos e conhecimento.
Castigo das pessoas duvidosas
Este inferno é para pessoas com uma mente duvidosa. Por exemplo: “Por que Jesus teria um plano na minha vida ou em mim? Quem sou eu? Eu não creio que Ele me ama. Eu sou ruim. Eu não creio que Ele amaria uma pessoa como eu”. Essas pessoas que não tentam alinhar os seus pensamentos com a vontade de Deus acabarão indo para o inferno. Nós devemos ajustar a nossa mente e os nossos pensamentos. Estes também são aqueles que violaram a palavra de Deus e ignoraram os seus mandamentos. Eles serão fritos numa frigideira queimando com o fogo do inferno.
Castigo das pessoas que não propagam o Evangelho.
 Este inferno é para as pessoas que não propagaram ou compartilharam o evangelho. Eles não evangelizaram as boas novas para os perdidos.
Tormento daqueles que ignoram Jesus e continuam pecando
Este tormento é para as pessoas que ignoraram a palavra de Deus e continuaram a cometer pecados. Eles são aqueles que praticaram o mal perante os olhos do Senhor.
Castigo das pessoas que reclamam e resmungam
Este inferno é para as pessoas que reclamam e resmungam até em seus corações.
Este lugar é para as pessoas que reclamavam e resmungavam não só a outros mas também em seus corações.
Castigo dos adúlteros, homossexuais e bissexuais
Este lugar é para aqueles que tiveram uma família mas traíram seus parceiros e/ou viraram homossexuais e/ou bissexuais. Eles serão penetrados por facas e lanças.
Homens que se corromperam sexualmente, eles terão suas partes íntimas perfuradas a cada segundo.
Castigo dos idólatras
Este inferno é para as pessoas que adoravam ídolos, tinham pensamentos ruins em suas mentes e que eram teimosos em seus próprios caminhos.
O tormento não tem fim. O sofrimento será eterno no inferno.
Se você não se arrepender.

Obs: Não coloquei nenhum dos quadros pintados pela visionária aqui porque são muito assustadores. Quem quiser ver os quadros referentes a cada pecado cometido é só acessar a página dela nas redes sociais.


Visões de Santo Anselmo.

1. Jazem nas trevas exteriores. Pois, lembrai-vos, o fogo do inferno não emite nenhuma luz. Assim como, ao comando de Deus, o fogo da fornalha babilônica perdeu o seu calor mas não perdeu a sua luz, assim, ao comando de Deus, o fogo no inferno, conquanto retenha a intensidade do seu calor, arde eternamente nas trevas.
 2. E uma tempestade que nunca mais acaba de trevas, de negras chamas e de negra fumaça de enxofre a arder, por entre as quais os corpos estão amontoados uns sobre os outros sem uma nesga de ar. De todas as pragas com que a terra dos faraós foi flagelada, uma praga só, a da treva, foi chamada de horrível. Qual o nome, então, que devemos dar às trevas do inferno, que hão de durar não por três dias apenas, mas por toda a eternidade?
3. O horror desta estreita e negra prisão é aumentado por seu tremendo cheiro ativo. Toda a imundície do mundo, todos os monturos e escórias do mundo, nos é dito, correrão para lá como para um vasto e fumegante esgoto quando a terrível conflagração do último dia houver purgado o mundo. O enxofre, também, que arde lá em tão prodigiosa quantidade, enche todo o inferno com o seu intolerável fedor; e os corpos dos danados, eles próprios, exalam um cheiro tão pestilento que, como diz São Boa-ventura, só um deles bastaria para infeccionar todo o mundo.
4. O próprio ar deste mundo, esse elemento puro, torna-se fétido e irrespirável quando fica fechado longo tempo. Considerai, então, qual deva ser o fétido do ar do inferno. Imaginai um cadáver fétido e pútrido que tenha jazido a decompor-se e a apodrecer na sepultura, uma matéria gosmenta de corrupção líquida. Imaginai tal cadáver preso das chamas, devorado pelo fogo do enxofre a arder e a emitir densos e horrendos fumos de nauseante decomposição repugnante. E a seguir imaginai esse fedor malsão multiplicado um milhão e mais outro milhão de milhões sobre milhões de carcaças fétidas comprimidas juntas na treva fumarenta, uma enorme fogueira de podridão humana. Imaginai tudo isso e tereis uma certa idéia do horror do cheiro do inferno.
5. Mas tal fedentina não é, horrível pensamento é este, o maior tormento físico ao qual os danados estão sujeitos. O tormento do fogo é o maior tormento ao qual o demo tem sempre sujeitado suas criaturas. Colocai o vosso dedo por um momento na chama duma vela e sentireis a dor do fogo. Mas o nosso fogo terreno foi criado por Deus para benefício do homem, para manter nele a centelha de vida e para ajudá-lo nas artes úteis, ao passo que o fogo do inferno é duma outra qualidade e foi criado por Deus para torturar e punir o pecador sem arrependimento.
6. O nosso fogo terrestre, outrossim, se consome mais ou menos rapidamente, conforme o objeto que ele ataca for mais ou menos combustível, a ponto de a ingenuidade humana ter-se sempre entregado a inventar preparações químicas para garantir ou frustrar a sua ação. Mas o sulfuroso breu que arde no inferno é uma substância que foi especialmente designada para arder para sempre e ininterruptamente com indizível fúria. Além disso, o nosso fogo terrestre destrói ao mesmo tempo que arde, de maneira que quanto mais intenso ele for mais curta será a sua duração; já o fogo do inferno tem esta propriedade de preservar aquilo que ele queima e, embora se enfureça com incrível ferocidade, ele se enfurece para sempre.
7. O nosso fogo terrestre, ainda, não importa que intensidade ou tamanho possa ter, é sempre duma extensão limitada; mas o lago de fogo do inferno é ilimitado, não tem praias nem fundo. E está documentado que o próprio demônio, ao lhe ser feita a pergunta por um soldado, foi obrigado a confessar que se uma montanha inteira fosse jogada dentro do oceano ardente do inferno seria queimada num instante como um pedaço de cera. E esse terrível fogo não aflige os danados somente por fora, pois cada alma perdida se transforma num inferno dentro de si mesma, o fogo sem limites se enraivecendo mesmo em sua essência. Oh! Quão terrível é a sorte desses desgraçados seres! O sangue ferve e referve nas veias; os cérebros ficam fervendo nos crânios; o coração no peito flamejando e ardendo; os intestinos, uma massa vermelha e quente de polpa a arder; os olhos. coisa tão tenra, flamejando como bolas fundidas.
8. Ainda assim, quanto vos falei da força, da qualidade e da ilimitação desse fogo é como se fosse nada quando comparado com a sua intensidade, uma intensidade que é justamente tida como sendo o instrumento escolhido pelo desígnio divino para punição da alma assim como do corpo igualmente. Trata-se dum fogo que procede diretamente da ira de Deus, trabalhando não por sua própria atividade, mas como um instrumento da vingança divina. Assim como as águas do batismo limpam tanto a alma como o corpo, assim o fogo da punição tortura o espírito junto com a carne.
9. Todos os sentidos da carne são torturados; e todas as faculdades da alma outro tanto: os olhos com impenetráveis trevas; o nariz com fétidos nauseantes; os ouvidos com berros, uivos e execrações; o paladar com matéria sórdida, corrupção leprosa, sujeiras sufocantes inomináveis; o tato com aguilhões e chuços em brasa e cruéis línguas de chamas. E através dos vários tormentos dos sentidos a alma imortal é torturada eternamente, na sua essência mesma, no meio de léguas e léguas de ardentes fogos acesos nos abismos pela majestade ofendida de Deus Onipotente e soprados numa perene e sempre crescente fúria pelo sopro da raiva da Divindade.
10. Considerai, finalmente, que o tormento dessa prisão infernal é acrescido pela companhia dos condenados mesmos. A má companhia, sobre a terra, é tão nociva que as plantas, como que por instinto, apartam-se da companhia seja do que for que lhes seja mortal ou funesto. No inferno, todas as leis estão trocadas lá não há nenhum pensamento de família, de pátria, de laços, de relações. O danado goela e grita um com o outro, sua tortura e raiva se intensificando pela presença dos seres torturados e se enfurecendo como ele.
11. Todo o senso de humanidade é esquecido. Os lamentos dos pecadores a sofrerem enchem os mais recuados cantos do vasto abismo. As bocas dos danados estão cheias de blasfêmias contra Deus e de ódio por seus companheiros de suplício e de maldições, contra as almas que foram seus companheiros no pecado. Era costume, nos antigos tempos, punir o parricida, o homem que havia erguido sua mão assassina contra o pai, arremessando nas profundezas do mar num saco dentro do qual também eram colocados um galo, um burro e uma serpente.
12. A intenção desses legisladores, que inventaram tal lei, a qual parece cruel nos nossos tempos, era punir o criminoso pela companhia de animais malignos e abomináveis. Mas que é a fúria dessas bestas estúpidas comparada com a fúria da execração que rompe dos lábios tostados e das gargantas inflamadas dos danados no inferno, quando eles contemplam em seus companheiros em miséria aqueles mesmos que os ajudaram e incitaram no pecado, aqueles cujas palavras semearam as primeiras sementes do mal em pensamento e em ação em seus espíritos, aqueles cujas sugestões insensatas os conduziram ao pecado, aqueles cujos olhos os tentaram e os desviaram do caminho da virtude? Voltam-se contra tais cúmplices e os xingam e amaldiçoam. Não terão, todavia, socorro nem ajuda; agora é tarde demais para o arrependimento.
13. Por último de tudo, considerai o tremendo tormento daquelas almas condenadas, as que tentaram e as que foram tentadas, agora juntas, e ainda por cima, na companhia dos demônios. Esses demônios afligirão os danados de duas maneiras: com a sua presença e com as suas admoestações. Não podemos ter uma ideia de quão terríveis são esses demônios. Santa Catarina de Siena uma vez viu um demônio e escreveu que preferia caminhar até o fim de sua vida por um caminho de carvões em brasa a ter que olhar de novo um único instante para tão horroroso monstro.
14. Tais demônios, que outrora foram formosos anjos, tornaram-se tão repelentes e feios quanto antes tinham de lindos. Escarnecem e riem das almas perdidas que arrastaram para a ruína. É com eles que são feitas, no inferno, as vozes da consciência. Por que pecaste? Por que deste ouvido às tentações dos amigos? Por que abandonaste tuas práticas piedosas e tuas boas ações? Por que não evitaste as ocasiões de pecado? Por que não deixaste aquele mau companheiro? Por que não desististe daquele mau hábito, aquele hábito impuro? Por que não ouviste os conselhos do teu confessor? Por que, mesmo depois de haveres tombado a primeira, ou a segunda, ou a terceira, ou a quarta ou a centésima vez, não te arrependeste dos teus maus passos e não voltaste para Deus, que esperava apenas pelo teu arrependimento para te absolver dos teus pecados? Agora o tempo para o arrependimento se foi. Tempo existe, tempo existiu, mas tempo não existirá mais!
15. Tempo houve para pecar às escondidas, para se satisfazer na preguiça e no orgulho, para ambicionar o ilícito, para ceder às instigações da tua baixa natureza, para viver como as bestas do campo, ou antes, pior do que as bestas do campo, porque elas, ao menos, não são senão brutos e não possuem uma razão que as guie; tempo houve, mas tempo não haverá mais. Deus te falou por intermédio de tantas vozes, mas não quiseste ouvir. Não quiseste esmagar esse orgulho e esse ódio do teu coração, não quiseste devolver aquelas ações mal adquiridas, não quiseste obedecer aos preceitos da tua Santa Igreja nem cumprir teus deveres religiosos, não quiseste abandonar aqueles péssimos companheiros, não quiseste evitar aquelas perigosas tentações. Tal é a linguagem desses demoníacos atormentadores, palavras de sarcasmo e de reprovação, de ódio e de aversão. De aversão, sim! Pois mesmo eles, os demônios propriamente, quando pecaram, pecaram por meio dum pecado que era compatível com tão angélicas naturezas: foi uma rebelião do intelecto; e eles, estes mesmos, têm que se afastar, revoltados e com nojo de terem de contemplar aqueles pecados indizíveis com os quais o homem degradado ultraja e profana o templo do Espírito Santo, e se ultraja e avilta a si mesmo. Fonte: www.cot.org.br

Existem inúmeros casos documentados de exorcismo, alguns livros, também relatos de testemunhas que vivenciaram acontecimentos sobrenaturais, mas apego-me somente ao caso do exorcismo de Anneliese Michel, nascida em 21 de Setembro de 1952 em Leiblfing na Bavaria. Porque neste caso conseguiram gravar as vozes de vários demônios que habitavam Anneliese. Foi amplamente divulgado pela imprensa local, em livro e em filme, não deixando qualquer dúvida a respeito da veracidade do acontecimento sobrenatural.
Para se ter contato com demônios, basta participar das invocações de espíritos em centros espíritas, com os Médiuns ( o nome mudou, mas se refere aos Feiticeiros e Bruxos atuais), ou em terreiros de Macumba, Candomblé, Umbanda, Missas Negras, rituais de sacrifícios humanos em Sabás, Adivinhação, Astrologia, Quiromancia, Igrejas Satanistas, participar de apresentações de bandas satânicas como: AC/DC, Rolling Stones, Black Sabbath, Iron Maiden, Led Zeppelin, Kiss, Titãs, Sepultura e quase todos os grupos de Hard-Rock/Heavy Metal-Band apresentam temas abismais, apadrinhados com o pensamento de AleisterCrowley que se auto denomina um demônio na Terra.
Seria necessário um livro para conter todas as informações repassadas pelos Santos e Profetas, sobre este lugar terrível. Mas, visto que o Falso Profeta Apocalíptico, que já está entre nós, disse abertamente que o Inferno é uma metáfora, me senti na obrigação de lembrar meus queridos irmãos em Cristo esta verdade: O Inferno é real.
A paz esteja sempre em vossos corações.

Antonio Carlos Calciolari