terça-feira, 12 de outubro de 2021

O FRUTO PROIBIDO NÃO ERA A MAÇÃ





 

O FRUTO PROIBIDO NÃO ERA A MAÇÃ

 

“E o Senhor Deus fez brotar da terra toda a árvore agradável à vista, e boa para comida; e a árvore da vida no meio do jardim, e a árvore do conhecimento do bem e do mal.” Gênesis 2:9

“E ordenou o Senhor Deus ao homem, dizendo: De toda a árvore do jardim comerás livremente, mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dela não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás.” Gênesis 2:16,17

Devemos primeiro elucidar o simbolismo desta Árvore do Bem e do Mal, que não é uma ideia, mas sim um verdadeiro fruto e uma verdadeira árvore, como são as de hoje, mas diferente de todas e única. O consumo deste fruto desencadeia um conhecimento da ciência do Bem e do Mal, instigado pela desobediência de quem o consumiu. Podemos dizer que dentro deste fruto havia algo sobrenatural criado por Deus, para imputar a ciência das coisas. Dizemos que o fruto é real, porque Adão e Eva são matéria e a matéria precisa do toque, ou de outra matéria para dar atenção a ela. Deus diz não comerás, e aqui subentende-se que quem come são os animais, e sendo o homem um animal, come, não no sentido figurado, mas realmente come o fruto.

Também não era nenhuma fruta semelhante as existentes, como por exemplo a maçã, mas sim um fruto único e simbólico criado por Deus, de sabor agradável e de boa aparência. Seria irracional pensar que este fruto do Bem e do Mal produzisse sementes e gerasse inúmeras árvores da mesma espécie. Este pensamento também serve para a Árvore da Vida. E Deus diz que certamente morreremos porque quem conhece o Mal, é atraído por ele, e peca. E se mantiver o pecado em seu coração, morre eternamente no Inferno, porque apesar de ter existência neste lugar de suplícios, não há liberdade, não há amor, mas um ódio que não tem fim, e por isso existência não significa necessariamente ter vida. Ou a vida é plena ou não é vida. Com a Verdade é a mesma coisa, deve ser absoluta, porque meias verdades na realidade é falsidade. E o Amor deve ser total e não amar pela metade, pois seria enganação.

O texto acima também significa que o homem podia comer do fruto da Árvore da Vida e viver eternamente como deuses, pois a proibição era apenas para a Árvore do Bem e do Mal. Imaginem o tamanho do erro cometido por nossos progenitores.

 “Então disse o Senhor Deus: Eis que o homem é como um de nós, sabendo o bem e o mal; ora, para que não estenda a sua mão, e tome também da árvore da vida, e coma e viva eternamente. O Senhor Deus, pois, o lançou fora do jardim do Éden, para lavrar a terra de que fora tomado. E havendo lançado fora o homem, pôs querubins ao oriente do jardim do Éden, e uma espada inflamada que andava ao redor, para guardar o caminho da árvore da vida.” Gênesis 3:22-24

Aqui Deus está dizendo que o homem se tornou conhecedor do Bem e do Mal, assim como Deus. Enquanto Deus pode ter tal conhecimento sem se corromper com o Mal, pois isso seria simplesmente impossível, porque Deus é um Espírito perfeitissimamente puro e portanto inatingível por qualquer mal, mas o homem assim não é, ficando a mercê das tentações e insídias do Enganador. Tanto que Adão e Eva apesar de serem antes da desobediência espíritos perfeitos, e terem de tudo que precisavam, inclusive a oportunidade de serem eternos, assim mesmo caíram nas mentiras da Serpente sedutora. E depois de caídos, com seus espíritos enfraquecidos ficaram ainda mais suscetíveis as tentações, e assim também seus descendentes, onde a culpa original se impregnou. Esta é a verdade, quem se distancia de Deus perde o Senhor, deixa de ter vida. E o que distancia o homem de Deus são os pecados cometidos não confessados com verdadeiro arrependimento. Os pecados são falas e atos que desagradam a Deus, pois são coisas ruins, não boas. Deus gosta somente de coisas boas. Deus é Amor, Luz, Verdade e Justiça. Deus é perfeição amorosa, iluminação das consciências, o Caminho certo para a vitória e um julgador justo por excelência.  

“Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: Ao que vencer, dar-lhe-ei a comer da árvore da vida, que está no meio do paraíso de Deus.” Apocalipse 2:7

Deus faz uma promessa a quem lhe for fiel até o fim, garantindo-lhes que será dada a vida eterna, a Árvore da Vida. Tal Árvore pelo que entendemos nesta passagem Bíblica, foi transladada do Paraíso terrestre para o Paraíso dos Céus, no Paraíso de Deus. Que é para onde nós em carne e espírito estaremos depois do julgamento final se estivermos a direita do Pai. Deus amorosíssimo, concede-nos novamente a Árvore da Vida, rejeitada por nossos progenitores.

 

Antonio Carlos Calciolari

Sem comentários:

Enviar um comentário