segunda-feira, 16 de maio de 2022

EM QUANTO TEMPO DEUS TUDO CRIOU?

 




EM QUANTO TEMPO DEUS TUDO CRIOU?

 

Tenho plena consciência de que é simplesmente impossível saber com exatidão como Deus criou tudo o que existe. A Bíblia, em Gênesis, nos dá um vislumbre de como poderia ter sido, fazendo nossa imaginação voar em inúmeras hipóteses. Não tenho a intenção de ser um indutor de falsas interpretações com relação a este assunto, e com isso levar alguns cristãos à dúvida quanto ao que ouvimos até hoje sobre o tempo da criação divina. É apenas uma reflexão baseada em algumas revelações de nossos Santos e visionários.

Os jovens de hoje diriam que é um “papo elevado”, que só vai interessar aos pensadores e filósofos. Neste interim devo admitir que para o mundo dos espíritos, onde Deus Reina, não tem relevância nenhuma especificar um tempo à uma obra, porque lá não existe o tempo como nós vivenciamos. Para nós enquanto estivermos vivendo na Terra, pode parecer significativo, mas quando estivermos no Reino de Deus não vamos nem mesmo pensar no tempo que levou para criar isto ou aquilo, nem na morte, mas sim impulsionados a adorar aquele que tudo criou. A vida na Terra passa, mas no Paraíso não passa, se eterniza em sucessivas atividades contínuas.

“Mas, amados, não ignoreis uma coisa, que um dia para o Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia.” (2 Pedro 3:8)

A contagem do tempo de vida do homem está no próprio homem, em seu Genoma, no DNA, colocado por Deus. Não são as rotações da terra que contam os dias, e as translações em volta do sol que contam os anos, que definem o tempo de vida de um homem. O que faz o homem envelhecer está nesta digital de Deus, encontrada em toda espécie de vida terrestre chamada: Genoma. O nosso calendário gregoriano é uma forma de contagem dos dias e anos. No mundo espiritual de Deus, em sua formação perfeitíssima, incorruptível e imortal, não existe calendário para contar o tempo.

O pensamento de Deus é ordem. Tudo o que faz segue esta ordem de feitio amorosa que tem sempre uma boa razão de ser, com tudo interligado para que possa existir. 

É fácil imaginar que no princípio Deus estava só, porque absolutamente nada existia, e a primeira atitude foi se dividir em três pessoas. Ele como primeira pessoa, a segunda pessoa Jesus e a terceira pessoa o Espírito Santo, surgidos depois de um excesso de amor que iluminou as trevas, o vazio. Sendo três em um, um em três, Uno e Trino. Em seguida fez sua morada: o Paraíso Celeste, depois os Anjos em seguida o universo. Os Anjos colaboraram com a construção do Universo executando as ordens do Criador.

Para fazer o universo também é fácil imaginar, e lógico, que primeiro Deus criou os elementos para depois formar os planetas e toda a via láctea, seguindo uma sequência de ordens de feitio sucessivas para se chegar na totalidade da criação, respeitando a complexidade de cada uma delas. Podemos também aceitar a ideia de que a Terra levou mais tempo para ser feita do que os outros astros, devido sua complexa formação para abrigar vida. Estamos até aqui admitindo que um tempo foi para criar o universo, e outro para adaptar a Terra com condições de sustentar a vida.

Neste momento da criação o nosso sistema solar é um relógio gigantesco, com o sol de base do ponteiro, indicando o tempo conforme os planetas o circundam.

Com a Terra pronta para receber vida, inicia-se a criação de todos os seres vivos, por último, como uma pérola preciosíssima fechando a criação com chave de ouro, Deus criou o homem. Até agora o que refletimos pode ser aceito normalmente por nossa inteligência limitada, porém incapaz de chegar a inteligência da ciência perfeitíssima de Deus com todos os minuciosos detalhes de como tudo realmente foi feito. 

Nosso Senhor Jesus Cristo nos dá uma pista à visionária Maria Valtorta dizendo:

“Não tenhais pressa. Deus nunca tem pressa, mas tudo o que Ele cria é eterno, porque é bem calculado antes de ser feito. Se não é eterno, dura tanto como os séculos. Olhai para o Universo. Há muitos séculos, há milhares de séculos ele está como Deus o fez, em operações sucessivas... Imitai o Senhor. Sede perfeitos como vosso Pai.”( O Evangelho como me foi revelado-Maria Valtorta-Vol.9,pg. 397)

Se Jesus está nos dizendo que o universo foi feito sem pressa, ou seja, sem pensar no tempo. E diz mais, “Olhai para o Universo. Há centenas, há milhares de séculos está como Deus o fez com operações sucessivas”. Jesus está nos dizendo que o universo foi feito depois de milhares de séculos.

Ora, se 1000 anos tem dez séculos, milhares de séculos é um número incalculável de milhões de anos para fazer o universo, como Jesus está nos dizendo.

Para entendermos melhor:

Um século tem 100 anos.

Mil séculos tem 10.000 anos.

Milhares de séculos é um número indefinido vezes 10.000 anos. Não dá para definir o número de vezes que teremos de fazer sobre 10.000 anos para descobrirmos em quantos anos foi feito o universo. Mas dá para deduzir que são milhões de anos com certeza. Estamos falando aqui sobre nosso sistema solar com todos os planetas e além dele. No término da criação do Universo que levou milhões de anos para se completar, a Terra ainda está sem qualquer tipo de vida.

Encontrei uma revelação que nos leva a ter uma noção mais precisa quanto ao tempo do universo. Uma coreana chamada Há bi Jung, seu Pastor e outros desta congregação cristã, foram ao Paraíso e nos revelou que o Grande Universo foi feito por Deus em 1,7 bilhões de anos, e só então foi criado a Terra. Levou mais 4,5 bilhões de anos para criar a Terra e só então criou o homem, e muitos anos para criar o corpo do ser humano e então criou o espírito. (https://www.youtube.com/watch?v=jHugUe6lXFs )

Eu não perco nem um pouco de minha fé em acreditar nestes números astronômicos sobre a criação do universo revelados a estes cristãos coreanos. Acredito que seja a verdade, porque tudo o que disseram sobre o Paraíso e o Inferno estão de acordo com a doutrina Católica. Então porque não acreditar? Observem que esta revelação da coreana está de acordo com a revelação dada por Jesus à Maria Valtorta, quanto ao tempo da criação do universo, ambas mencionando milhões de anos. Uma destas meninas coreanas é pintora, desenhou e pintou o que viu no Paraíso e no Inferno, com uma criatividade sobrenatural e precisão incrível. Quando se fala em milhões de anos, nos faz imediatamente pensar no que disse Pedro: .”..um dia para o Senhor é como mil anos e mil anos como um dia.”

Quanto ao que está escrito em Gênesis, também nos leva a pensar em tempos diferentes para cada criação divina.

 “No princípio criou Deus o céu e a terra. E a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo; e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas. E disse Deus: Haja luz; e houve luz. “(Gênesis)

Céu em hebraico significa extensão, amplidão, firmamento ou o universo visível. E a terra, é o nosso planeta, porque Deus está explicando como tudo fez para nós habitantes da Terra. Então seria: No princípio criou Deus o universo conjuntamente com a Terra e a Luz(sol). E completa dizendo que a Terra estava vazia, ou seja, sem vida. Até aqui subentende-se um tempo.

“E viu Deus que era boa a luz; e fez Deus separação entre a luz e as trevas. E Deus chamou à luz Dia; e às trevas chamou Noite. E foi a tarde e a manhã, o dia primeiro.”(Gênesis)

A separação entre a luz e as trevas, dia e noite, efeito da rotação e translação de nosso planeta, foi feito por Deus depois de criado o universo, e a este período chama de “o dia primeiro”, composto de uma tarde e manhã. Quando Deus diz “e foi a tarde e a manhã o primeiro dia”, só pode estar se referindo da primeira rotação da Terra, durante a qual fez a separação da luz das trevas, para que houvesse na Terra dias e noites. Aqui é outro tempo.

Usando um pouco de imaginação, baseado no que já refletimos; com relação ao mistério das datações em milhares de anos para fósseis encontrados na terra, um outro tempo deve ser contado quando Deus decide fazer da Terra um oásis de vida, enquanto criava as condições para que o planeta abrigasse vida. Deus fez um teste com alguns animais para ter certeza de que a vida fluiria de maneira perfeita. Os cientistas chamam estes animais iniciais de dinossauros, os quais foram extintos abruptamente depois de terem cumprido o tempo necessário para as devidas verificações do Criador. É coerente aceitar a ideia de que estes animais eram bestas que não poderiam subsistir conjuntamente no mundo dos homens.

Passado o tempo do teste, foram criados os animais atuais e finalmente o homem, o qual podemos fazer uma especulação sobre o tempo de sua criação até os dias de hoje.

Para definir este tempo desde a criação de Adão, existem algumas considerações a fazer, consequentes dos mistérios que saberemos somente no Céu, tais como:

Quanto tempo se passou depois que Deus criou todos os seres vivos até criar Adão?

De Adão até a criação de Eva quanto tempo se passou?

Quanto tempo nossos progenitores se mantiveram sem pecar antes de serem rebaixados?

Não temos como responder a estas perguntas. No meu entender o tempo de vida de Adão começa a ser contado depois de sua queda, depois de ter sido expulso do Paraíso, quando conheceu a dor e a morte. Antes eram perfeitos e eternos, foram criados já adultos para serem sempre jovens. A colocação de Serafins para proteger a Árvore da vida, ordenado por Deus, afim de que Adão e Eva dela não comessem seus frutos e consequentemente voltassem a viver eternamente, foi depois do rebaixamento quando os progenitores se tornaram mortais, no que diz respeito a carne, e não no espírito porque este é eterno.

“Ao entrar adulto no seu reino, depois de ter vivido na casa da mãe, a terra com a qual foi feito, durante a sua infância de Eterno, na sua jornada sobre a terra, este rei teria cometido contra si mesmo o delito de matar-se na Graça e o latrocínio de furtar-se do Céu.” ( Valtorta-Vol 1 pg. 34)

O tempo de 6.000 anos defendido por teólogos, não pode se referir desde a criação do universo, mas do início da vida de Adão sobre a Terra depois de ter sido rebaixado, até os dias de hoje. Este tempo de 6.000 anos pode ser confirmado pela Bíblia com a genealogia de Adão até Jesus Cristo, completando com o tempo de Jesus até os dias de hoje. Também por uma revelação dada por Nosso Senhor Jesus à Luísa Piccarreta em 29 de janeiro de 1919, falando sobre a necessidade da renovação do homem a cada 2.000 anos, dizendo que desde o início do homem até Noé(dilúvio) foram 2.000 anos, de Noé até Jesus(Nova Aliança pela Graça) mais 2.000 anos e de Jesus até sua segunda vinda(separação dos homens bons dos maus) mais 2.000 anos, totalizando 6.000 anos.

Vejam que constatação interessante, somando os 6.000 anos de Adão até a segunda vinda de Cristo, mais os 1.000 anos de paz que vem depois para pôr fim a odisseia humana terrestre com o Juízo universal, são 7.000 anos do início do homem até o fim dos tempos. O número 7 na Bíblia, nos transmite a ideia de totalidade, interação, conclusão, perfeição e consumação.

Pode-se dizer que tudo foi criado por Deus em 6 dias, visto que no sétimo descansou? Se considerarmos o tempo de Deus, sim. Mas se considerarmos o tempo dos homens, não. Porque são tempos diferentes que só podem ser compreendidos refletindo sobre essas diferenças.  

Não vejo desacordo algum em todas estas revelações de nossos visionários, que nos levam a entender com maior abrangência o pensamento de Deus. Vejo o enriquecimento do conhecimento que já possuíamos, nós Católicos privilegiados, por termos as revelações do Céu na sua integralidade, engrandecendo nossa alma de felicidade, pois ela rejubila quando se lembra do lugar onde foi feita, da Fonte, do Paraíso, de Deus, nos dando uma sensação de paz interior.

Que a paz do Senhor esteja em nossos corações sempre.

 

Antonio Carlos Calciolari


Sem comentários:

Enviar um comentário